Mergulhado na tempestade de idéias

O prefeito Crespo convocou os seus secretários e assessores mais diretos para um encontro, que está sendo realizado de hoje até sexta-feira no Parque Tecnológico de Sorocaba, chamado de brainstorming – que é o nome dado à uma técnica grupal na qual são realizados exercícios mentais com a finalidade de resolver problemas específicos. Popularizado pelo publicitário e escritor Alex Faickney Osborn, o termo no Brasil também é conhecido como “Tempestade de idéias”. Durante o encontro, cada um dos 20 secretários terá a chance de contar aos outros, usando telão, vídeo, powepoint…, o que fizeram e o que pretendem fazer ao longo do próximo ano.

Mas sendo brainstorming, que problema específico o prefeito pretende resolver ao final desse mergulho, no final da tarde de sexta-feira?

O prefeito teve acesso a diferentes pesquisas nos últimos tempos e entende que há uma clara aprovação do seu governo e reprovação de si por parte do eleitorado sorocabano. Esse é o problema a ser resolvido: como aproximar a imagem do governo (que é aprovado) dele (que é reprovado). Independentemente do que consiga ao final da reunião, ele já tomou a decisão de ser o candidato à reeleição em 2020.

Deixo uma dica, minha: prefeito faça diferente tudo o que fez até agora, ou seja, mude seu comportamento: evite conflitos, não aja intempestivamente, seja flexível em suas agendas, seja didático para explicar suas ações, dê satisfação de suas decisões, atenda olho no olho quem te procura e nunca mais marque reunião de três dias com toda a equipe na última semana do ano. Seus secretários podem até não te dizer, mas estão enfrentando em casa uma guerra com as esposas e filhos. Como todos, eles também fizeram esquemas de plantão e folgas e haviam planejado visitar alguém longe de Sorocaba. Como surgiu essa “tempestade de idéias”, esposas e filhos tiveram que cancelar e não estão poupando “elogios” à vossa pessoa. E é esse tipo de elogio que ajuda na construção dessa imagem reprovada.

Em tempo: quando foi candidato à reeleição, Renato Amary também enfrentou problema parecido, ou seja, ele não tinha a mesma aprovação do seu governo. Três coisas mudaram a história dele: 1ª) Ele assumiu o “xingamento” que lhe faziam (que era jardineiro, só pintava as pontes e cuidava das praças e jardins de Sorocaba e não fazia mais nada) e se assumiu como o zelador. Um jingle ficou marcante com ele sendo o “jardineiro”; 2º) ele entendeu que no xingamento havia a falta de informação do que ele fazia e a primeira providência foi numerar as placas indicativas das obras que estava fazendo e ele próprio então descobriu que havia passado de 2 mil ações; 3º) ele tinha uma equipe com quem brigava (literalmente isso, brigas que por pouco não chagavam às vias de fato) formada por pessoas escolhidas por ele (Luiz Leite, Carlos Maria, José Antônio Bolina, Pedro Dal Pian Flores e Carlos Roberto Levy Pinto) e com quem ele conversava diariamente.

FOTO: domingo passado, em evento no Jardim Ipiranga, o prefeito cumprimenta criança após encontro com os moradores.

Comentários

Leia também