Ministério Público abre procedimento preparatório para investigar denúncia de maus-tratos dos macacos que habitam a ilha do zoológico sorocabano; denúncia feita em primeira mão por ambientalista na coluna O Deda Questão

No dia 19 de fevereiro passado, primeiramente na coluna O Deda Questão no Jornal Ipanema (FM 91.1Mhz) e na sequência aqui neste blog, revelei à sociedade sorocabana que o ambientalista Gabriel Bitencourt havia recebido a denúncia de tortura contra macacos que vivem em ilha no Zoológico de Sorocaba. Ele leva o caso à Prefeitura (que está sendo tratado pela Corregedoria) e à Câmara de Vereadores (onde a Comissão do Meio Ambiente decidiu aguardar a investigação da Corregedoria para se manifestar).

Nesta segunda-feira, dia 12 de março, o promotor de justiça Jorge Marum, do Ministério Público de Sorocaba, que atua na área ambiental, abriu o procedimento preparatório para investigar essa denúncia contra os macacos.

Ele solicita informações do caso da Secretaria do Meio Ambiente, da Corregedoria da Prefeitura, da Polícia Ambiental e do ambientalista Gabriel Bitencourt. A partir do que o promotor receber, dentro de 30 dias que é o prazo que ele deu para a manifestação de cada um desses agentes envolvidos no caso, ele decide se instaura a investigação.

Relembre o caso

No dia 19 de fevereiro de 2018 postei: O ambientalista Gabriel Bitencourt, colunista do Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz), que foi vereador de Sorocaba por 3 mandatos e dedica a sua atuação pública às questões ambientais há mais de 30 anos, recebeu na semana passada a gravação de uma conversa entre estagiários e profissionais do Zoológico Municipal que caiu como uma bomba entre os protetores de animais: os macacos-prego que vivem na ilha que existe no zoológico não deixam a ilha porque são treinados para não saírem. E o treinamento é dar um caldo no macaco, ou seja, a cabeça do macaco que ameaça sair da ilha é afundada na água até quase ele perder a respiração. Assim, condicionado ao medo de ter a cabeça afundada na água, o macaco não se atreve a sair do espaço da ilha.

Ou seja: os macacos são torturados.

Na coluna O Deda Questão de sexta-feira passada conversei ao vivo com Gabriel Bitencourt e ele deve retomar o tema nesta terça-feira no Jornal Ipanema. Sua decisão é relatar esse mau trato ao secretário do Meio Ambiente da Prefeitura de Sorocaba, Jessé Loures, afim de que um procedimento interno de investigação seja iniciado e o mesmo relatório ao presidente da Câmara de Sorocaba, Rodrigo Manga, com a intenção que ele coloque o problema nas mãos dos vereadores da Comissão de Meio Ambiente da Câmara para que eles, vendo elementos, peçam a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a veracidade do fato denunciado e aponte os responsáveis.

Comentários

Leia também