Misterioso paroquiano da Igreja São Judas de Sorocaba conseguiu que presidente da república recebesse o padre Flávio fora da agenda e, mais, que o presidente telefonasse ao ministro da saúde pedindo que atendesse a Santa Casa

PadreFlavioTemerQuem colocou o padre sorocabano na sala do presidente da República? Um paroquiano da Igreja de São Judas em Sorocaba, explicou o padre, que está mantido sob sigilo

O padre Flávio Miguel Júnior, pároco do Santuário de São Judas Tadeu de Sorocaba e presidente da Irmandade Santa Casa, conseguiu no Ministério da Saúde um repasse de R$ 2 milhões que serão usados para a compra de ar condicionado específico para centro cirúrgico, avaliado em R$ 300 mil, reativação de cinco salas de centro cirúrgicos (mais R$ 700 mil) e ainda terá R$ 1 milhão a ser aplicado ao hospital.

Tudo isso nasceu de um almoço na casa do padre Flávio do qual participaram a vereadora Iara Bernardi (PT) e o seu marido, o médico Antônio Sérgio Ismael, onde Iara convidou o padre a ir com ela a uma audiência que ela tinha agendado no Ministério da Saúde para tratar de temas que ela levantou enquanto deputada como verba para a oncologia da Santa Casa.

Combinada a viagem, Iara foi a Brasília pela manhã e o padre Flávio à tarde. Chegando o horário da audiência, Iara mandou mensagem ao padre querendo saber onde ele estava que ela já estava na antessala do ministro e para surpresa dela, o padre respondeu que estava no Palácio e na antessala do presidente.

Ao vivo, durante O Deda Questão no Jornal do Ipanema (FM 91,1Mhz) na manhã de hoje, o padre Flávio explicou que um paroquiano, que frequente a Igreja São Judas onde ele é pároco, ofereceu de conseguir um lugar na agenda do presidente que, na hora, o padre topou. E gravou um vídeo divulgando o encontro (que pode ser assistido no portal Ipanema – www.jornalipanema.como.br).

Iara, também ao vivo no Jornal Ipanema, disse que o presidente telefonou ao ministro da saúde, Ricardo Barros, determinando que ele atendesse às necessidades do padre Flávio e ele próprio ofereceu R$ 2 milhões de imediato fora atender a chegada a Sorocaba de equipamentos para o tratamento da oncologia na Santa casa e no Conjunto Hospitalar de Sorocaba que foram articuladas por Iara quando ela era deputada.

Quem é o paroquiano misterioso

Obviamente que insisti com o padre para que ele contasse quem é o sorocabano com tanto trânsito com o presidente da república, mas ele disse que não tinha autorização para contar. Levantou-se a hipótese de que esse paroquiano é o primo do presidente, José Elias Themer, juiz de direito em Sorocaba, o padre negou, embora confirmasse que ele estivesse ontem em Brasília e tenha se encontrado com o presidente. Levantou-se a hipótese de ser Renato Amary ou o seu filho, Flávio Amary, que por questões sindicais (Flávio preside o Secovi) ou políticas (Amary é do mesmo partido de Temer), mas ele também negou e disse que não é nenhum político e nenhuma personalidade, limitando-se a dizer que é um paroquiano. Um mistério, ao menos por enquanto.