MP arquiva investigação de compra/venda de voto de tucanos de Sorocaba e não vai investigar pedido de cassação de 13 vereadores e vice-prefeita

MParquivaO promotor de Justiça Orlando Bastos Filho, do Ministério Público de Sorocaba, arquivou o inquérito civil iniciado por ele próprio para apurar a conduta do prefeito Crespo, e dos vereadores tucanos João Donizeti e JP Miranda, que teriam sido alvos de retaliações de Crespo após votarem contra projetos de interesse do governo, mas posteriormente mudaram de posicionamento e viram cessar as represálias.

Orlando Bastos Filho, afirma, após ouvir as partes, que não há elementos para provar a ocorrência de venda/compra de votos dos citados, ou seja, não há justa causa para o prosseguimento do inquérito e pede seu arquivamento.

Não investiga

Em relação ao pedido do advogado Anselmo Bastos, que é o primeiro suplente de vereador do PRB (partido do pastor Irineu Toledo na Câmara de Sorocaba), da cassação dos mandatos da prefeita Jaqueline Coutinho e de outros 13 vereadores da casa, que estava em tramitação no Ministério Público, ele chegou ao fim.

O presidente Rodrigo Manga informou que cada vereador recebeu do promotor Orlando Bastos Filho a comunicação de que não iniciará investigação.

O denunciante afirma que os 13 vereadores tiveram sua cota pessoal de nomeação de amigos dentro da prefeitura após Jaqueline assumir que seguiu um grau de intimidade entre o vereador e o nomeado, porém, sem relação alguma de confiança entre o nomeado e a prefeita, ferindo, assim, o interesse público. O MP entende que faltam elementos que apontem para algum crime.