MP quer prisão de vereador afastado por atrapalhar investigação

Na coluna O Deda Questão, na manhã de hoje, no Jornal Ipanema (FM 91.1Mhz), contei que a Justiça vai decidir nos próximos dias se acata o pedido do promotor Orlando Bastos Filho, do Ministério Público em Sorocaba, de prender o vereador impedido de exercer suas funções Marinho Marte.

O problema está no comportamento de Marinho, segundo o promotor.

O vereador foi acusado de cobrar dinheiro de assessores de seu gabinete para pagar a campanha da reeleição do vereador, a deste mandato em curso.

Num primeiro momento, segundo o promotor, as testemunhas negaram que Marinho Marte cobrasse deles parte dos salários, porém, após algum tempo, essas mesmas testemunhas voltaram atrás e disseram que eram obrigados a dar parte dos ganhos ao então vereador.

Diante disso, acatando pedido do promotor, a justiça afastou Marinho de sua atividade pública de modo que ele perdeu o cargo de secretário na Prefeitura de Sorocaba e ficou impedido de exercer o mandato de vereador.

Porém, no entender do promotor, Marinho estaria coagindo suas testemunhas e o único modo de impedir isso, uma vez que afastá-lo da vida pública não foi suficiente, é determinar a sua prisão.

Marinho foi comunicado do fato nesta semana, uma vez que no dia 5 passado o MP fez o pedido e ganhou prazo para se posicionar sobre a denúncia do promotor. Depois de analisar a resposta de Marinho em comparação com o pedido do promotor que a justiça vai dizer se Marinho fica preso ou solto.

O MP não tem prazo para concluir sua investigação e, assim, Marinho segue impedido de exercer o seu mandato de vereador.

Comentários

Leia também