MRV solicita audiência com o prefeito para liberar obras de conjunto de prédios embargada pela prefeitura. Prefeito quer MP e associação do bairro no encontro

ObraEmbargada

ObraEmbargadaObra de residencial segue embargada na rua João Wagner Wey em Sorocaba

A partir de questionamentos de ouvintes do Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz), na manhã de hoje (09/05), durante sua participação, o prefeito Crespo foi questionado sobre o embargo das obras de 22 torres, de 8 andares cada uma, do residencial Salamanca na rua João Wagner Wey região do Jardim América. E revelou que o dono da construtora MRV, que constrói e comercializa o empreendimento, pediu uma audiência com o prefeito para achar uma solução ao problema. O prefeito disse que deseja a presença do promotor Marum, que entende que a obra não poderia ser liberada pela prefeitura como foi na gestão Pannunzio, e de Sérgio Reze que era o presidente da Ambeu (Associação dos Moradores do Bairro Elton Ville e Adjacências) quando moveu a ação na justiça contra a construção do residencial. O prefeito espera que a MRV ofereça uma compensação à altura para que possa levar a obra adiante.

O prefeito teceu duras críticas ao ex-secretário de Governo da gestão Paunnunzio, Toni Silveira, dizendo que ele fraudou (no sentido de ser malandro) à sociedade ao dizer que havia um TAC (Termo de Ajuste de Conduta) quando esse termo só tem validade se o Ministério Público faz parte do acordo e não fez. E, pior, afirmou que Toni Silveira prevaricou ao permitir que a obra fosse adiante mesmo sabendo que não há, na lei, nada que permita a construção de 22 torres no local.