Municipalização do CHS é diferente de municipalizar o CHS. Ou não?

Uip

Secretário de Estado da Saúde reconhece problemas do CHS e diz que não fala sobre o que não discutiu com o governador

Durante a entrevista do prefeito Crespo na coluna O Deda Questão, na terça-feira passada (06/06), no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz), o prefeito falou sobre mais de uma dezena de temas. E um deles, um encontro do prefeito com Dom Odilo Scherer, Cardeal de São Paulo, presidente da Fundação São Paulo (FSP), mantenedora da PUC – Faculdade de Medicina, surgiu por revelação do próprio prefeito.

O prefeito falou sobre o problema do CHS (Conjunto Hospitalar de Sorocaba) e disse que a solução para a eficiência e eficácia do atendimento no local passa pela municipalização do complexo. Medida, aliás, defendida pelo prefeito na campanha. Na entrevista, Crespo afirmou que houve sinal verde do secretário de Saúde do Estado, David Uip, para que a mudança seja concretizada. Para isso, Crespo disse que mantém conversa com Dom Odilo Scherer, Cardeal de São Paulo, presidente da Fundação São Paulo (FSP), mantenedora da PUC – Faculdade de Medicina, com o padre Rodolfo Pesarollo (executivo da FSP) e com padre Tadeu Rocha de Moraes, da Catedral Metropolitana de Sorocaba e que vai também falar com o dom Julio Akamine, o arcebispo sorocabano, para criar uma consciência favorável para que a FSP assuma o CHS numa eventual municipalização. E que se a FSP não quiser, ele pensa até nos camilianos, do Hospital São Camilo.

No mesmo dia, terça-feira, o secretário de Estado, David Uip, teve audiência com deputados estaduais e Raul Marcelo (PSOL) quis saber em que pé anda a municipalização do CHS, anunciada na entrevista pelo prefeito.

Entender que a solução é a municipalização do CHS e lutar por isso é uma coisa, outro é afirmar que o prefeito disse que o CHS será municipalizado, como se houvesse decisão para isso e a entrevista inteira (assim como na campanha) tal fala não estivesse na condicional.

Na resposta de Uip, e o PSOL tem divulgado esse vídeo desde ontem, a sensação que se tem é a de que o secretário desmente Crespo quando ele é dúbio.

Uip disse que se encontrou com Crespo apenas uma vez e que não foi discutida a municipalização do CHS, mas uma nova gestão para o complexo, lembrando que há um passivo trabalhista (o custo da demissão dos funcionários do Estado, por exemplo). Mais no final, o secretário afirma que assuntos da secretaria, antes de se tornarem públicos, são discutidos com o governador e ele ainda não o fez. Ou seja, quando tratar com o governador ele vai dizer? O secretário também afirma que há muita gente trabalhando para o CHS não funcionar, que ele trocou cinco diretores do complexo e que vai dar uma solução para os problemas. Mas não cita que solução será essa.

Carro na frente dos bois

Raul Marcelo foi perfeito em levar assunto tão sério e importante à parte dessa conversa da qual ele se relaciona (deputado estadual com secretário estadual). Crespo, claramente, colocou o carro na frente dos bois. Seja qual tenha sido a conversa que teve com David Uip, me parece evidente que ela era de âmbito privado e que não era para sair de lá dizendo o teor do tema.

Ficam duas dúvidas: Crespo estaria tão confiante na municipalização que se sentiu confiante em iniciar conversas com a igreja para ela assumir o comando do CHS? Ou Crespo teria sido imprudente?

Agora, a afirmação “municipalização é a solução para o CHS” é bem diferente de anunciar que o prefeito e o Estado vão “municipalizar o CHS”. Ou não?

Como disse a vereadora Iara Bernardi (PT) durante o debate do tema hoje na coluna O Deda Questão na Ipanema: Que o assunto não caia no esquecimento e que o debate seja contínuo até que se ache uma solução para o local, lembrando que, ainda sem data, Sorocaba terá um novo Hospital Estadual.