Músico sorocabano que mora na Alemanha vai fazer a trilha sonoro do filme documentário sobre a vida de Olavo Carvalho, conferencista odiado pela esquerda e amado pela direita

Guto Brinholi é um músico sorocabano formando pela Unicamp e que adotou Muniche, na Alemanha, como sua cidade há mais de um ano. Lá ele incrementa sua carreira de compositor e agora ganhou a oportunidade de ser o compositor da trilha sonora original do filme “O Jardim das Aflições”, do jovem diretor Josias Teófilo, do Recife (PE). Mais informações estão no website: http://ojardimdasaflicoes.com.br/ O filme trata do trabalho do brasileiro Olavo de Carvalho, radicado nos EUA.

No deserto que caracteriza o pensamento de direita no Brasil desde a morte de Mário Henrique Simonsen, Olavo de Carvalho ele acabou por se tornar a principal referência no pensamento do conservadorismo das pessoas que se identificam com o pensamento classificado como de direita. Automaticamente, ele é abominado pela esquerda. Conferencista, ensaísta, e autor brasileiro militante da direita política, atua nas áreas do jornalismo e filosofia e é tido como o principal influenciador da linha editorial das pessoas que fazem a revista Veja.

Guto Brinholi me conta que “o filme será belíssimo, como já se pode ver no teaser disponívei no website”. Ele me explica que “O Jardim das Aflições” se diferencia da maior parte da produção cinematográfica brasileira pela forma com que está sendo viabilizado: sem um centavo de dinheiro público (o que seria incompatível com o pensamento de Olavo de Carvalho, que fez todos os seus livros e cursos de forma independente do Estado”. Neste link no Facebook sobre a participação do sorocabano no filme: https://www.facebook.com/gutobrinholi/posts/10207533232701317?notif_t=like

O jardim das Aflições

O percurso biográfico, a rotina e o pensamento do filósofo brasileiro Olavo de Carvalho, esses são os eixos temáticos do documentário de longa-metragem O jardim das aflições. O filme retratará o cotidiano do filósofo na sua casa em Colonial Heights, estado da Virgínia (EUA), onde reside atualmente, captando a atmosfera de trabalho intelectual, convívio familiar e, principalmente, o seu pensamento filosófico no que concerne à autonomia da consciência individual em oposição à tirania da coletividade. A contraposição entre a vida cotidiana e a transcendência filosófica será o eixo de sustentação do documentário.

O filme se propõe como um estudo poético sobre o personagem cada vez mais conhecido e estudado no Brasil, porém sempre à distância, através dos seus escritos ou pela internet, já que ele mora atualmente nos Estados Unidos. Dirigido por Josias Teófilo, jornalista e cineasta recifense radicado em Brasília, o filme terá entrevistas de Wagner Carelli, também jornalista e criador das revistas Bravo! e República. O filme também conta com a produção de Matheus Bazzo e assistência de direção de Mauro Ventura.

Financiamento coletivo

O Jardim das Aflições se diferencia da maior parte da produção cinematográfica brasileira pela forma com que será viabilizado: sem um centavo de dinheiro público (o que seria incompatível com o pensamento de Olavo de Carvalho, que fez todos os seus livros e cursos de forma independente do estado), financiado através de uma rede de colaboradores, que serão também difusores do projeto. No site (ojardimdasaflicoes.com.br), os interessados podem cadastrar o seu email e colaborar financeiramente com o projeto.

Comentários

Leia também