Não é apenas a China que está de olho mercado sorocabano, cônsul da África do Sul faz encerramento do mês da Consciência Negra da cidade e abre espaço para relações econômicas e culturais com a cidade

AfricaApenas neste ano, sete comitivas de políticos e empresários chineses vieram até Sorocaba atrás de oportunidades de negócios e interesse em conhecer a cultura e educação da cidade.

Além disso, a presença da Toyota em Sorocaba mantém um fluxo de pessoas do Japão na cidade e o parque industrial sorocabano, onde estão instaladas empresas de diferentes países, atrai empresários da Europa.

Agora esse leque se ampliou com a África do Sul.

Organizado pela Secretaria de Igualdade e Assistência Social da Prefeitura de Sorocaba, por meio das ações que integram a Coordenadoria da Igualdade Racial, aconteceu no Teatro Municipal Teotônio Vilela na tarde de quinta-feira passada o seminário “Oportunidades de Negócios na África do Sul”.

O evento reuniu autoridades sorocabanas e Malose William Mogale, cônsul-geral da República da África do Sul no Brasil, e Shanaaz Ebrahim, a cônsul-econômica daquele país.

O secretário de Igualdade e Assistência Social, Alexandre Hugo de Morais, explicou que o seminário “foi uma oportunidade única para se ampliar as relações bilaterais, culturais e econômicas com Sorocaba, uma vez que foram expostos aos empresários novas oportunidades no país africano que está em franca expansão, além de ter sido um marco no encerramento dos eventos dentro da programação do mês da Consciência Negra da Prefeitura de Sorocaba”.

Vice-prefeita

Os cônsules da África do Sul foram recepcionados no Palácio dos Tropeiros pela vice-prefeita de Sorocaba, Jaqueline Coutinho, que na ocasião representou o prefeito Crespo, por conta de uma agenda fora da cidade marcada previamente. Durante a visita, a vice-prefeita de Sorocaba destacou a importância da África do Sul como parceiro comercial com Sorocaba.

De acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, entre janeiro e outubro deste ano as empresas sorocabanas exportaram para a África do Sul um total de US$ 8.946.607. É atualmente o 16º principal país econômico de destino dos produtos fabricados em Sorocaba. No ano passado esse valor chegou a US$ 12.125.288.

“Dados extremamente significativos e que podem e devem ser ampliados nos próximos anos, diante de uma retomada da economia e, sobretudo, com a chegada de novos investimentos para a nossa cidade. Nosso governo tem trabalhado para garantir uma cidade justa, progressista, ampliando investimentos em infraestrutura”, disse a vice-prefeita, que completou: “Por isso, com seu dinamismo cultural e vivacidade gerada por origens étnicas múltiplas da população, o Brasil oferece diversas oportunidades para o intercâmbio social, cultural e econômico com esses setores sul-africanos. Da mesma forma, a África do Sul, por meio de sua herança e riqueza cultural. Um país em amplo desenvolvimento econômico que também apresenta a nós brasileiros grandes prospecções para intercâmbio e divisão de experiências.”

O secretário de Desenvolvimento Econômico Trabalho e Renda, Robson Coivo, aproveitou para falar das características socioeconômicas do município e de alguns projetos de infraestrutura que estimulam o desenvolvimento. “Apesar dos desafios que as economias do Brasil e África do Sul atualmente enfrentam, as relações culturais e comerciais são, sem dúvida, setores importantes que podem direcionar o crescimento e o desenvolvimento de ambos os países”, disse.

Cônsules da África do Sul

O cônsul-geral da África do Sul, Malose William Mogale, destacou que a missão tem como objetivo ampliar as relações bilaterais entre o Brasil e a África do Sul. Se disse entusiasmado pelo potencial da cidade em desenvolvimento e, por isso, quer concretizar as relações com o país dele e trazer delegações da África do Sul para fazer negócios com empresários sorocabanos. “Estamos abertos e valorizamos parcerias internacionais. Queremos que as empresas de Sorocaba conheçam as indústrias dos mais variados setores da África do Sul e se tornem parceiras. Hoje Sorocaba tem como principal importadora a China. E porque não a África do Sul ter uma participação maior”, afirmou.

Durante o evento no TMTV, a cônsul-econômica, Shanaaz Ebrahim, apresentou aos presentes informações e vídeos que demonstram o potencial econômico da África do Sul, como PIB, produtos fabricados pelas indústrias daquele país. Na oportunidade, a diplomata afirmou que atualmente existem 12 multinacionais brasileiras instaladas na África do Sul e que a intenção é expandir esse número. Observou que há leis de proteção de investimentos que facilitam às companhias brasileiras se registrarem facilmente naquele país.