Ninho tucano ainda não se definiu em relação ao nome do seu candidato a prefeito e saída de secretários é mistério

Minha tendência era cravar aqui que o secretário de Governo e Segurança Comunitária, João Leandro da Costa Filho, deixaria o governo nesta quinta-feira (02/06), o último prazo legal para um agente público deixar seu cargo afim de estar apto, do ponto de vista da lei, a concorrer a qualquer cargo público do Poder Executivo nas eleições de outubro. Para concorrer ao Poder Legislativo este prazo expirou em 2 de abril. Pois bem, fui aconselhado a não afirmar isso, pois ainda existe a possibilidade de João Leandro seguir até o fim do mandato, descartando assim qualquer especulação de que seria o candidato a prefeito ou a vice pelo PSDB.

Minha tendência, também, era cravar que o secretário da Saúde, médico Francisco Antônio Fernandes, o Chicão, ficaria no governo, afastando assim a possibilidade de se candidatar. Igualmente fui aconselhado a nada afirmar.

E por quê? Porque o ninho tucano ainda não se definiu em relação ao nome do seu candidato a prefeito. Na reunião de segunda-feira passada, me disseram que o deputado federal Vitor Lippi havia mudado de ideia e seria o candidato. Ouvi as seguintes afirmações: Antes fosse verdade, assim estaria tudo resolvido. Outro me disse: o deputado refuta veementemente ser o candidato a prefeito nesta eleição. Um terceiro me falou: Lippi joga a candidatura para Maria Lúcia Amary que, por sua vez, devolve para Lippi. Um quarto me afirmou: foi um eocntro de avaliação de cenários.

A permanência de João Leandro e Chicão em seus cargos vai significar que o vice na chapa do PSDB será de outro partido e quem já adiantou conversas neste sentido foi o vereador Cláudio do Sorocaba 1 (PR). A saída de Chicão indica que ele poderá ser candidato a prefeito. A saída de João Leandro que ele poderá ser candidato a vice-prefeito ou coordenador da campanha do candidato tucano seja ele quem for. Mas dificilmente será candidato a prefeito.

Nesta lista falta Anselmo Neto, vereador. Por lei, ele não precisa se afastar do seu cargo para concorrer a prefeito. É um nome que se mantém na lista, assim como o do prefeito Pannunzio está definitivamente fora dela.

Em tempo, antes de ir à Argentina, o prefeito Pannunzio vai oficializar sua decisão em relação a permanência ou saída dos secretários.