No primeiro dia no cargo de prefeita, Jaqueline é recebida por vereadores que cassaram Crespo e ouve pedido para que haja harmonia entre os poderes

JCromariaEm umas das primeiras ações como chefe do Executivo, Jaqueline Coutinho visitou o Poder Legislativo na manhã desta sexta-feira, cerca de oito horas depois de ter recebido posse após a sessão de cassação do prefeito Crespo. Em seguida, ela seguiu a pé, da Câmara ao Paço (cerca de 800 metros), acompanhada pelos parlamentares, para seu gabinete na Prefeitura.

Empossada na noite desta quinta-feira, 24, após a cassação de José Crespo (DEM), a prefeita Jaqueline Coutinho esteve na sede do Legislativo logo no início da manhã desta sexta-feira, 25, quando foi recepciona pelos vereadores presentes na Casa na sala do presidente Rodrigo Manga (DEM). Após uma breve reunião com os parlamentares, a prefeita foi acompanhada por Hudson Pessini (PMDB), Fausto Peres (Podemos), Silvano Junior (PV), Iara Bernardi (PT), Péricles Régis (PMDB), Francisco França (PT) e Wanderley Diogo (PRP) até seu gabinete na Prefeitura.

Além de desejarem que a prefeita desenvolva um bom governo, os vereadores ressaltaram a importância da união e harmonia entre Executivo e Legislativo e do respeito à independência dos poderes. Os parlamentares também cobraram o compromisso da prefeita com a execução do Plano de Governo apresentado pela chapa eleita e com os compromissos de campanha, incluindo a valorização do funcionalismo.

“Fico feliz com a atitude da prefeita em vir à Câmara dialogar com os vereadores mostrando que todos estamos unidos por uma causa maior que é Sorocaba”, afirmou Pessini em nome dos demais parlamentares. Em relação ao governo Crespo, o vereador ressaltou que “não havia mais governabilidade” e que vinha ocorrendo o “cerceamento aos vereadores”.

“Para pensarmos na continuidade da administração, temos que rever as atitudes do governo, registrar os compromissos públicos”, disse a prefeita. Jaqueline ressaltou ainda que irá agora se debruçar sobre o trabalho que vem sendo desenvolvido em cada uma das secretarias para se “inteirar das ações previstas, em curso, que já foram feitas e que vão ocorrer”. “Temos duas vertentes. A operacionalidade do governo, através do Plano de Governo proposto, porque temos ainda três anos e meio, e a questão funcional”, concluiu.