Nomeação de novo secretário de Meio Ambiente é apenas vontade da prefeita

A prefeita Jaqueline Coutinho (PDT) tirou Jessé Loures do cargo de secretário de Meio Ambiente da Prefeitura, e o colocou como Diretor de Área da mesma pasta, e nomeou em seu lugar Maurício Tavares da Mota.

Doutor em Ciências Ambientais da Unesp (Universidade Estadual Paulista na Área de Concentração: Diagnóstico, Tratamento e Recuperação Ambiental, Mota também é graduado em Ciências Biológicas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/Sorocaba) e Mestre em Sustentabilidade na Gestão Ambiental pela UFSCar  (Universidade Federal de São Carlos).

Mesmo com todo esse currículo e conhecimento, ainda teve gente que aproveitou a coincidência da nomeação (segunda-feira passada) com a decisão do vereador Martinez em ser líder de Jaqueline na Câmara. Maurício teve vasta experiência na gestão pública, onde começou a trabalhar como assessor de Martinez.

Ultimamente ele estava no gabinete do vereador Hudson Pessini, namorado da prefeita, e também houve quem apontasse que ele virou secretário por isso.

Digo, de fonte segura, que Maurício não foi apadrinhado nem por Martinez e nem por Pessini. Ele é escolha pessoal de Jaqueline. Em 2017, quando ela assumiu o cargo na primeira cassação de Crespo, ele aconselhou (e praticamente toda a sua assessoria concordou) que todos pedissem demissão. Maurício vendo que a prefeita ficaria sem ajuda, decidiu desobedecer e quando Crespo voltou, ele perdeu o emprego. Jaqueline sempre foi grato pela sua coragem de colocar em risco o seu emprego (que acabou perdendo) em prol da administração. Então, juntou essa gratidão com esse currículo que, desafio alguém ao contrário, digo que pode ter em Sorocaba outro igual, mas não melhor do que o dele para o cargo.

Que Jaqueline dê a Maurício a chance dele implementar em Sorocaba uma política ambiental à altura da importância de Sorocaba.

Comentários

Leia também