Nomeação de um novo comando político e definição dos poderes concentrados na pasta de Saneamento, via decreto do prefeito, fecham os quatro pilares de poder e sustentação da administração do governo Crespo

O prefeito Crespo baixou decreto que altera a nomenclatura da Secretaria de Recursos Hídricos (SEHIDRO) para Secretaria de Saneamento (SESAN) para ajustar a finalidade legal. A mudança objetiva atender a orientação da Lei Federal do Saneamento 11.445/2007, que versa sobre a gestão do conjunto dos serviços de abastecimento público. “A palavra saneamento engloba os quatro pilares: água, esgoto, drenagem e resíduos sólidos, os quais já fazem parte da gestão desta secretaria”, contou Alceu Segamarchi, agora secretário de Saneamento.

Com isso, a Divisão de Limpeza Urbana e Resíduos, a Seção de Coletas, Varrição e Limpeza e a Seção de Aterros e Disposição Final constantes, respectivamente do inciso II, alíneas “a” e “b” do artigo 13 da Lei nº 11.488, de 19 de janeiro de 2017, alterada pela Lei nº 11.500, de 9 de março de 2017, ficam remanejadas da Secretaria de Conservação, Serviços Públicos e Obras – SERPO para a Secretaria de Saneamento (SESAN).

O que isso quer dizer?

No último dia 20 de fevereiro, quando o prefeito Crespo nomeou Alceu Segamarchi como secretário de Recursos Hídricos, ele formalizou uma situação que vinha ocorrendo informalmente, ou seja, a presença de Alceu no governo sem salário e sem cargo, apenas como conselheiro voluntário do prefeito. Com seu afastamento da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos do Estado de São Paulo), Alceu veio para o governo agora de forma definitiva. Ele já integrou o primeiro escalão no ano passado emprestado por aquela empresa com funções de captação de recursos por meio da promotoria econômica.

Agora, com a concentração do saneamento na condução de Alceu Segamarchi, fica claro quem são os 4 homens-forte do governo Crespo, que estão em postos chaves da administração: além de Alceu Segamarchi, Ronald Pereira da Silva (Saae), Hudson Zuliani (Contratos e Licitações) e agora Flávio Chaves (comando político).

Comentários

Leia também