Nova esperança para o trem Sorocaba-São Paulo

Ricardo Meier, jornalista do setor automobilístico e de aviação, apaixonado pelo tema mobilidade e pela melhoria da qualidade de vida nos grandes centros urbanos, responsável pelo blog Metrô CPTM (site que fala sobre a rede metropolitana sobre trilhos de São Paulo com o objetivo de mostrar o que envolve essa importante malha que transporta milhões de pessoas todos os dias na Grande São Paulo) publicou hoje, dia 16 de janeiro de 2020, que o trem regional que o governo do estado estuda levar até Sorocaba poderá fazer parte da concessão das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da CPTM.

Essa possibilidade, explica o blogueiro, partiu da afirmação do secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em resposta a um usuário nas redes sociais, onde ele admitiu essa possibilidade ao dizer que “temos estudos sendo feitos, com previsão de levar o trem de passageiros da Linha 8 até Sorocaba na Concessão que será colocada aos investidores privados”.

Embora pouco clara, Meier afirma que essa hipótese levantada pelo secretário parece fazer sentido uma vez que boa parte do trajeto entre São Paulo e Sorocaba compreende justamente os trilhos usados hoje pela Linha 8-Diamante e, conclui ele, incluir o serviço regional no pacote pode tornar o projeto mais atraente para a iniciativa privada além de evitar possíveis disputas entre duas concessionárias que operariam no trecho.

Para o jornalista, a hipótese do secretário é uma modelagem semelhante ao que se prepara para a licitação do primeiro serviço do Trem Intercidades, como é chamado o projeto pelo governo, e que vai ligar a capital paulista à Campinas numa primeira fase. A gestão Doria deverá oferecer um pacote que incluir o trem expresso, um serviço parador e a Linha 7-Rubi da CPTM.

Ao incluir o trem regional até Sorocaba, o governo abre enormes possibilidades para os operadores privados. Como será responsável também pela Linha 9-Esmeralda, a futura concessionária poderia em tese oferecer um serviço terminasse, por exemplo, na estação Pinheiros caso fosse tecnicamente viável. Com isso atrairia um público corporativo que hoje se desloca do interior até a Zona Sul de São Paulo e que poderia abandonar o automóvel em favor do trem.

Outra possibilidade seria levar o trem regional até a estação Júlio Prestes em vez de apenas Palmeiras-Barra Funda, como se prevê no projeto do TIC de Campinas. Na clássica estação há plataformas disponíveis e uma ligação subterrânea com a estação da Luz também faria o serviço regional ser acessível para passageiros oriundos de outras regiões da Grande São Paulo.

O serviço regional entre São Paulo e Sorocaba parecia estar no fim da lista de prioridades do governo Doria, afinal no ano passado o governador do PSDB e sua equipe citaram os trajetos até Santos e São José dos Campos com mais frequência, uma vez que o número de passageiros no sentido oeste da capital é o que deverá ter a menor demanda dos quatro serviços (veja o quadro).

Em estudo de 2013, o governo do estado estimava que este ano o trem para Sorocaba atrairia apenas 22 mil usuários por dia contra 34 mil do serviço para Santos, 55 mil para São José dos Campos e 73 mil usuários para Campinas. Mesmo a longo prazo, a perspectiva é que o TIC sorocabano tivesse uma participação de somente 12% no total de passageiros transportados pelo serviço como um todo.

A integração com as duas linhas da CPTM, no entanto, podem potencializar o projeto, não há dúvida, e aproveitar a iminência da concessão é algo vital para explorar essa janela. Interessados não faltam, como declarou a CCR nesta semana, segundo artigo da revista Veja. A empresa, que hoje opera as linhas 4 e 5 de metrô, além de ter vencido a concessão da Linha 15 de monotrilho, afirmou que tem intenção de participar do projeto dos ramais da CPTM.

Tudo isso, repito, é só mais uma nova esperança.

Comentários

Leia também