Novo presidente do diretório municipal do PT dá nota 3 ao governo Crespo, mas admite dar uma bem maior se o mutirão da saúde zerar a fila de especialidades e admite até mudar de voto e vir a aprovar representante em Brasília

Franca

Vereador França conversa com Kiko Pagliato, Paulo Roberto Jr. e comigo na bancada do Jornal da Ipanema

O experiente vereador França, que cumpre o seu quarto mandato como vereador na Câmara de Sorocaba, que igualmente é um experiente sindicalista sendo uma das principais lideranças da categoria de transportes de Sorocaba com atuação reconhecida nacionalmente, foi eleito presidente do diretório municipal do PT no domingo passado. Ele participou a coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91.1Mhz) e explicou sua missão de reunificar o partido que vem sofrendo com o massacre da grande mídia em torno do PT. Ele disse ser favorável à Lava-Jato, mas contra a perseguição que ela faz somente com o PT sendo que outros políticos e partidos estão igualmente envolvidos.

Mas o momento humorado da entrevista foi quando França tirou um sarro, como se diz, do apresentador Kiko Pagliato que momentos antes dele entrar no ar havia dado nota 8 ao prefeito Crespo nesses 100 dias de governo. Crespo reagiu com surpresa e entusiasmo à nota dada por Kiko e disse que nem iria dormir esta noite de alegria. França entrou no ar discordando dessa avaliação de Kiko sobre Crespo e enaltecendo que até o prefeito acha que nota 8 é alta demais para os seus 100 primeiros dias. Questionado que nota dá ao governo Crespo, ele disse que 3 e disse que não viu nada sendo feito (a não ser a grama sendo cortada, palavras dele, como algo positivo) para ser diferente do governo Pannunzio. Aumentar das 17h para às 19h o horário de atendimento médico nas UBS e o atendimento infantil na UPH Zona Norte que era apenas para adulto, para França, é apenas paliativo. Ele disse que vai dar uma nota bem maior para o governo Crespo se ele cumprir a promessa de zerar a fila de especialidades como já havia sido anunciado pelo secretário da saúde, Rodrigo Moreno, quando deu entrevista exclusiva em O Deda Questão.

Mas o que surpreendeu foi ao final da entrevista, depois de ter defendido que a criação de um cargo de representante em Brasília, como pretende Crespo, é um desperdício de dinheiro público, ele afirmar que poderá mudar seu voto (foi contra na primeira discussão) se dados demonstrarem que esse cargo trará benefícios à cidade. Ele ficou claramente surpreso, eu confesso que eu também, quando um ouvinte elencou que são mais de 20 cidades no Brasil cujo a Prefeitura tem um escritório de representação em Brasília. França prometeu estudar o tema e se convencido de que essas cidades foram beneficiadas votar a favor da criação do cargo.