deda_itv200A coluna O D da Questão nasceu dentro do Jornal da Ipanema, na Rádio Ipanema de Sorocaba (FM 91,1 Mhz), onde segue no ar, ao vivo, toda segunda, quarta e sexta-feira, a partir das 8h30.

A coluna é uma criação minha e traz minha experiência profissional entre elas a de ter sido editor-chefe dos jornais Cruzeiro do Sul e Bom Dia. A apresentação também é minha, mas o que dá sabor à coluna O D da Questão é o diálogo estabelecido comigo no ar e ao vivo pelos apresentadores e comentaristas Kiko Pagliato, José Roberto Ercolin, Alexandre Moretto e Paulo Roberto Júnior, mas também com Benedito Urbano Martins, Rosana Pires e Pedro Esmeraldo, na coxia da emissora.

O D da Questão na Rádio Ipanema traz os bastidores políticos de Sorocaba e região, além de fatos marcantes do Brasil e do mundo, com o contexto dos fatos, decisões e alianças políticas e empresariais de Sorocaba e suas relações com os governos Municipal, Estadual e Federal.

O compromisso da coluna O D da Questão é com uma visão crítica dos fatos, análise das informações e a mesma qualidade de jornalismo sério e independente que marca a minha vida profissional. E esse compromisso fica ampliado, agora, neste blog. Ao longo do dia, em todos os dias da semana, os fatos mais marcantes serão registrados neste espaço. Quem quer saber o que acontece de importante em Sorocaba, necessariamente, terá de entrar nessa coluna ao menos uma vez por dia. Ao menos é isso que vou perseguir.

Resumo pessoal

Deda é meu apelido, desde que eu era criança. Meu nome é Djalma Luiz Benette. Sou jornalista com mestrado em Comunicação e Semiótica (PUC-SP), Especialização em Jornalismo (Cásper Líbero) e bacharel em Jornalismo (PUC-Campinas).
Sou autor do livro “Em Branco Não Sai”, Editora Códex, de São Paulo, oriundo da dissertação de mestrado. De 15 de agosto de 1997 a julho de 2003 fui o editor responsável pelo jornal Cruzeiro do Sul, Sorocaba-SP, periódico onde desempenhei diferentes funções. De 27 de novembro de 2005 a 10 de outubro de 2012 fui o editor responsável pelo jornal Bom Dia, Sorocaba-SP, periódico onde também desempenhei diferentes funções.
Como professor lecionei diferentes disciplinas nos cursos das faculdades de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Universidade de Sorocaba (Uniso), Instituto Superior Uirapuru de Sorocaba e Pontifícia Universidade Católica de Campinas (Puccamp). Fui integrante do Grupo de Estudos da Semiótica da Cultura (Oktiabre) e Núcleo Semiótica da Cultura do COS da PUC-SP.
Entre setembro de 2003 e março de 2004 fui o chefe de gabinete da deputada estadual Maria Lúcia (PSDB) na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.
Entre 2 de Abril e 31 de Outubro de 2004 fui o Coordenador Executivo do Marketing da campanha a prefeito de Sorocaba, Vitor Lippi (PSDB).

Entre 1º e 31 de Dezembro de 2004 fiz parte da equipe de transição do governo da administração municipal de Sorocaba com a saída do prefeito Renato Amary e chegada do prefeito eleito Vitor Lippi.

Entre 3 de janeiro de 2005 e 6 de maio de 2005 fui o Diretor da área de Cultura da Secretaria de Educação e Cultura da Prefeitura de Sorocaba. No dia 9 de maio de 2005, por escolha do então prefeito de Sorocaba, Vitor Lippi, assumi o cargo de secretário municipal da Cultura de Sorocaba.

No dia 19 de dezembro de 2012 assumi a assessoria de comunicação do Instituto Defenda Sorocaba.

No dia 25 de janeiro de 2013 dei início ao projeto O D da Questão no programa Jornal da Manhã da Rádio Ipanema de Sorocaba.

No dia 20 de julho de 2013, coloquei no ar meu blog O D da Questão que é esta página onde você está no momento.

Sou casado, pai de duas filhas e concentrei minha vida profissional em Sorocaba por opção pessoal.

Resumo profissional

Nos jornais Cruzeiro do Sul e Bom Dia e no serviço público (Prefeitura e Assembléia Legislativa) meu papel central foi o de criar um elo eficiente e eficaz entre o emissor e o receptor de mensagens. Para isso, usei as ferramentas disponíveis em cada momento.

Um jornal atende aos interesses do seu dono/acionista, mas precisa ser aceito, compreendido e consumido por seu público leitor. Essa equação sempre esteve ao meu encargo nos veículos onde trabalhei.

O serviço público (no caso da Prefeitura e do mandato de um parlamentar) atende aos interesses de quem ocupa o cargo para o qual foi escolhido, mas precisa ser aceito, compreendido e aprovado por seu público senão deixa de ser eleito na eleição seguinte. Igualmente essa equação esteve ao meu encargo na experiência que tive.

Meu trabalho sempre foi o de identificar o foco no processo de comunicação, propor estratégias de ação e montar equipes necessárias à execução desse processo, além de ter montado a equipe e executado o comando de suas tarefas nos empregos por onde passei.

Agora, meu trabalho neste blog é uma extensão do que venho fazendo na rádio. É, portanto, criar um elo direto com você, meu leitor. Espero ser importante para você. Que minhas opiniões ajudem você a entender o Município, Estado e País que você vive e que esse entendimento se concretize em suas ações cotidianas.