Obras do BRT impactam comércio e consórcio intensifica trabalho

Os problemas ocasionados pelas obras do BRT (Bus Rapid Transit) ao comércio da região da Avenida Itavuvu, Zona Norte de Sorocaba, foram debatidos em audiência pública no plenário da Câmara Municipal de Sorocaba.

A iniciativa foi do vereador Renan Santos e contou com as presenças do presidente da Urbes, Luiz Alberto Fioravante; da secretária municipal de Planejamento e Projetos, Mirian Zacareli; do diretor presidente do Consórcio BRT Sorocaba, José Henrique de Ávila; do diretor de engenharia do BRT, Luiz Alexandre Massariol; e do diretor de trânsito da Urbes, Carlos Eduardo Paschoini. Também participaram do debate comerciantes e empreendedores da região, representantes da Associação Comercial de Sorocaba e de sociedades de amigos do bairro.

Problemas e soluções

O principal deles girou em torno do trânsito na avenida Itavuvu. Gera preocupação aos comerciantes especialmente o fato de que, com a implantação do BRT, uma faixa será exclusiva para os ônibus em todos os horários, reduzindo o espaço para tráfego dos veículos. Fioravante respondeu que a faixa exclusiva ficará à esquerda e isso será benéfico, pois não haverá mais pontos de ônibus à direita, portanto facilitando o acesso aos estabelecimentos comerciais.

Outra preocupação recorrente foi em relação a permissões para carga e descarga dos fornecedores e prestadores de serviço dos estabelecimentos. Segundo Fioravante, com o término das obras, haverá liberdade maior para carga e descarga, assim como para estacionamento de veículos na primeira faixa à direita da avenida.

Renan Santos registrou todas as sugestões e questionamentos realizados e afirmou que haverá outras reuniões com agentes públicos para tratar dos assuntos levantados na audiência pública. O vereador combinou também uma futura reunião de devolutiva para os comerciantes presentes na sessão.

Trabalho intensificado

Na audiência pública, um dos pedidos dos comerciantes impactados pela obra do BRT na avenida Itavuvu é o de acelerar o término da obra, prevista para ser entregue em maio de 2020.

José Henrique de Avila, Presidente da Concessionária BRT Sorocaba, explica que o possível está sendo feito e cita que nessa semana as obras do Terminal Vitória Régia foram intensificadas, sendo o local importante conexão que compõe o sistema BRT, uma vez que nele os passageiros provenientes de outros bairros, e que também circularem em linhas dos corredores exclusivos BRT, serão beneficiados pela dinâmica de integração do terminal que ampliará a mobilidade: “O local contribuirá para uma integração eficiente com todo o sistema de transporte urbano e, conforme formos avançando os cidadãos notarão o tamanho do empreendimento que no próximo ano irão usufruir”, ressalta.

A infraestrutura do Terminal Vitória Régia prevista será composta por quatro plataformas de embarque, cobertura de estrutura metálica, piso de pavimento rígido e um prédio administrativo e operacional responsável pela gestão do fluxo de veículos e passageiros. Contará com central de monitoramento 24 horas, atendimento de informações aos usuários, sanitários, wifi, carregadores de aparelhos eletrônicos e acesso facilitado para pessoas com necessidades especiais.

O que vai mudar

Com o BRT em funcionamento, Sorocaba terá um sistema de mobilidade urbana com deslocamentos mais rápidos do que os atuais, sendo oferecido aos passageiros o acesso a 28 estações preferenciais, 4 estações de integração, 3 novos terminais e 96 pontos de parada, além da integração com os Terminais Santo Antônio e São Paulo, com as seis áreas de transferências e a integração temporal entre diferentes linhas.

Comentários

Leia também