Para candidato sorocabano, TCU errou ao colocar seu nome na lista de quem recebeu auxílio emergencial com patrimônio milionário

A lista de candidatos às eleições de 2020 que declararam patrimônio superior a R$ 300 mil e, mesmo assim, receberam o auxílio emergencial do governo federal durante a pandemia de Covid-19, publicada na postagem anterior deste blog, contém 10 mil nomes do Brasil e 17 deles de Sorocaba.

Apenas um deles, Rubens Júnior, conhecido como Rubinho do Sorocaba Denúncias, candidato a vereador pelo PSDB, se manifestou para este blog, contestando que seu nome esteja na lista.

Frisei na publicação que a situação dos nomes divulgados ocorreu por determinação do ministro Bruno Dantas do TCU (Tribunal de Contas da União). Para ele, o patrimônio declarado é um indicativo de que os candidatos não se encaixavam nas regras para receber o benefício, após o TCU cruzar informações do INSS e do Tribunal Superior Eleitoral.

Frisei também na publicação que para o TCU, cada nome da lista é suspeito e cada um terá a chance de se explicar seja por ter declarado patrimônio de modo errado ou por ter pedido o auxílio sem cumprir o que a lei exige. Ou, mesmo, por errônea interpretação do TCU.

A seguir, leia a explicação por parte do candidato e ele deixa claro que, para ele, o TCU incluiu seu nome na lista de modo errado.

Leia a íntegra:

Boa tarde Deda, me chamo Rafael e sou advogado e amigo do Rubens Júnior, conhecido como Rubinho do Sorocaba Denúncias. Você acabou de veicular uma matéria utilizando o nome dele e expondo seus patrimônios, cabe salientar que a moto é do ano 2017, ela foi comprada com recursos próprios que, na época ele havia uma entrada de caixa mais alta, já a sua propriedade foi construída em meados de 1996, com ajuda de seus irmãos e seus pais, que, quando estavam vivos moraram na residência e somente em 2014, quando seu pai Rubens estava debilitado, Rubens Júnior se mudou para Sorocaba, sua matéria deixa de mencionar, por falta de informações, o que ele atualmente faz e sua renda… por ser autônomo, vive de comissão das vendas de veículos e, com a pandemia muitos deixaram de trocar seus veículos ou até mesmo adquirir novos e Rubens teve uma queda em seus rendimentos em torno 99%, logo ele se enquadra nos requisitos para o pleito e concessão do benefício, visto que, após análise foi concedido. Cabe salientar também que, o imóvel não gera renda, é sua moradia. De ante mão solicitamos que exclua a menção de seu nome ou que coloque sua compatibilidade. Agradeço desde já, Rafael Scatamacchia Rodrigues.

Comentários

Leia também