Pára com essa fantasia, isso é papinho de torcedor traído pelo time. Não é. Mas se nem ela acreditou…

Admito que um time, que é o meu, fazer um gol contra à 1 minuto de jogo e seus 2 principais craques (ou principais salários se preferirem) chutarem seus pênaltis nas mãos do goleiro adversário, numa final, não merece ser campeão.

Mas e se o adversário não fosse o Corinthians, teria sido a mesma situação?

Não pergunto dos cabeças-de-bagre e pernetas que “erraram” tudo. Pergunto do árbitro que marcou pênalti e 8 minutos depois voltou atrás. Não discuto se não foi pênalti, pois até acho que não foi mesmo. Mas digo do que é a regra: marcou pênalti, é pênalti. Isso vai mudar quando houver nos jogos árbitro de vídeo, mas não tem. O que teve foi um ser estranho ao jogo, mesmo que não completamente, o quarto árbitro, dizendo que viu Ralf bater na bola antes dele atropelar Dudu. Ridículo crer que ele tenha visto do meio de campo algo que só depois de ser revisto em câmera lenta, por N vezes, seja possível dizer. Ou seja, alguém viu na TV e falou para ele que falou para o banana (espero que seja só isso mesmo o que o caracterize) do árbitro que 8 minutos depois voltou atrás.

A verdade é: quem mandou o árbitro voltar atrás?

A Rede Globo é dona do campeonato e dos times (menos o Palmeiras que tem outro mecenas, a dona Leila, proprietária de tudo relacionado com a Crefisa). A Rede Globo está possessa, pelo que o noticiário nos mostra, pelo fato do Palmeiras ter fechado contrato não com ela, mas com a EI (Esporte Interativo) que não é nada no Brasil, mas é uma das principais forças na organização e transmissão de futebol na Europa e Ásia. A Rede Globo precisa do Corinthians para o seu negócio dar certo. São fanáticos e garantem, quando aparecem na TV, a necessária audiência da emissora.

Mas tem mais: Futebol é emoção, fanatismo, irracionalidade… mas é um negócio de bilhões. Vou contar uma historinha: Em 2009, quando o Palmeiras, dirigido por Muricy, ia ser facilmente campeão brasileiro, pois faltando poucos jogos para a rodada final tinha 10 pontos de vantagem sobre o segundo colocado e algo mais sobre o Flamengo que estava na 4º colocação, perdeu o campeonato e o Flamengo foi campeão. No jogo em que estava sendo campeão (não me lembro se empatando ou vencendo o Grêmio), 2 palmeirenses foram expulsos após brigarem em campo (quem não se lembra de Obina e Maurício se estapeando?). Enfim, para resumir: Kléber Leite, então presidente do Flamengo e de uma empresa de marketing esportivo, queria presidir o Clube dos 13 (os que negociam direitos da exibição dos jogos com as emissoras de TV). Mas Fábio Koff, do Grêmio, que sempre mandou no Clube do 13, não queria. Kléber telefona para uma pessoa que tinha poder de influenciar, mas que já havia esgotado todas as possibilidades e não teve sucesso. Essa pessoa atende ao telefone e diz, Klebinho, você não vai presidir… Klebinho, o Koff não quer… Klebinho.. Tá bom, isso acho possível. Tá bom Klebinho, o Flamengo vai ser campeão… E mesmo o Palmeiras a 1 ponto de ser campeão brasileiro de 2009, o Flamengo que estava lá atrás levantou a taça. Essa mesma pessoa indicou Dunga para dirigir a seleção brasileira (lembram como isso foi chocante?) e negociava com times grandes, da elite, sua queda para a série B, pois era muito mais rentável.

Por isso, se alguém se interessar em quebrar o sigilo bancário (não o oficial, mas o verdadeiro que deve ficar na Suíça ou algum outro paraíso fiscal) de Dudu e Lucas Lima – que perderam os pênaltis ontem – e de Cássio que pegou os pênaltis de ontem –  vão perceber alguma movimentação estranha. Eles informaram onde bateriam o pênalti para essa pessoa que tratou de pedir ao Cássio que pulasse naquele canto. Tudo pareceu limpo e obra de um grande goleiro. Nós vimos isso pela TV, não foi?

Bom, contei isso tudo para minha mulher e ela me sentenciou: pára com essa fantasia, isso é papinho de torcedor traído pelo seu time.

Confesso que não é. Mas se nem ela acreditou…

Comentários

Leia também