Pedro morreu. O Mandala vive

A morte de Pedro Adami no domingo de Carnaval é uma coincidência. O fato de ser dos foliões natos de Sorocaba faz muita gente acreditar em providência divina. É unicamente uma coincidência e qualquer valor que seja enunciado daí tem total relação com o enunciador do que com o fato.
Pedro Adami era bom no que fazia e o sucesso do Mandala, uma referência de comida ótima, feijoada maravilhosa e chope na cremosidade e temperatura que agradam os bebedores, tinha a sua mão.
Mas tinha também a da Fernanda. Dos irmãos. Da sua equipe que aqui homenageio a todos citando o Tabaco.
Pedro descansou hoje, mas a pedra sobre a qual construiu o Mandala segue a rocha que garante a alegria e descontração dos seus frequentadores. Segue como o ganha pão das dezenas de seus funcionários.
Pedro e Fernanda foram os primeiros há quatro anos a darem a chancela do Mandala a este blogue. Nunca me esquecerei de tamanho gesto, tão grandioso. Pedro havia experimentado outros projetos. Tinha a experiência de cair e se levantar. Sabia que um gesto pode ser muito maior que qualquer palavra. Foi isso que ele fez comigo quando estava caído e dava os primeiros passos neste projeto chamado O Deda Questão : um gesto. Um sinal de que vale a pena.
Descanse Pedro. Obrigado Pedro. O  Mandala está em boas mãos. Sucesso Fernanda.