Perícia judicial tenta descobrir se os R$ 10 milhões pagos pelo Saae de Sorocaba por obras em Estação de Tratamento foram de fato realizadas

Nem mesmo o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) sabe quanto, das obras contratadas para reformar as adutoras e ampliar o sistema de tratamento de água bruta na ETA do Cerrado, foram efetivamente concretizadas pela empresa ECL Engenharia e Construções Ltda., que abandonou o empreendimento em dezembro de 2012, alegando desequilíbrio econômico-financeiro do contrato, que previa pagamentos da ordem de R$ R$ 28.842.646,71.
Para chegar a uma conclusão sobre essa dúvida, está sendo realizado um inventário das obras na ETA do Cerrado por um perito indicado pela Justiça, acompanhado pela Diretoria Operacional de Água do Saae. Somente após esse levantamento, será possível saber o que a ECL fez na ETA, o que é fundamental para poder realizar nova licitação, indicando quais obras e serviços deverão ser prestados pela nova empreiteira.
Essa foi uma das conclusões às quais chegaram os membros da CPI do Saae, após informações obtidas junto a Reginaldo Schiavi, Diretor de Produção do Saae, que recepcionou o vereador Carlos Leite (PT), Presidente da CPI, e os assessores dos demais membros, em diligência realizada na manhàde quarta-feira (19/3/14) à ETA.

Comentários

Leia também