Pesadelo de nova epidemia de dengue, como ocorreu em 2015 quando foram registrados 52 mil casos, deixa médicos em estado de alerta

Dengue2015Número de casos de 2015 obrigou prefeitura a instalar local com macas apropriadas para amenizar sofrimento de pacientes

Em números oficiais, Sorocaba contabilizou 52.575 casos notificados de dengue no ano de 2015 até que a Secretaria Municipal da Saúde da prefeitura, em maio daquele ano, decretasse que a epidemia havia terminado.

Passados mais de dois anos, com um 2016 tranquilo e um primeiro semestre de 2017 sem casos fora do comum, nas últimas três semanas os casos de dengue e chikungunya, transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti, chamam a atenção dos médicos nos consultórios da cidade.

Alerta

Os médicos com os quais conversei pedem anonimato, o que acho justo, mas dizem que é preciso lançar o alerta de que o problema com o mosquito existe e é necessário fazer já mutirão para evitar um problema como o registrado no verão de 2015, quando as notificações explodiram na cidade.

Uma consulta no site da prefeitura demonstra que não existe registro de que a Secretaria de Saúde, ou outro órgão da prefeitura, tenha fito neste 2017 arrastões ou nebulizações, que são ações preventivas para exterminar criadouros de larvas e acabar com os mosquitos. Além disso, as campanhas ostensivas de orientação da população também deixaram de ser realizadas.

Prefeitura atenta

Fiz questionamento oficial obre esses à secretaria de comunicação da Prefeitura, que coordena ações e notificações sobre doenças. Informação é de que prefeitura está atenta ao problema, mas não divulga números.

Leia as ações que a prefeitura informa fazer:

– “Casa a casa”: consiste na realização de vistorias de imóveis fora de áreas de transmissão, com o objetivo maior de diminuir a infestação do vetor da Dengue/Chikungunya/Zika por meio da remoção de criadouros e conscientização da população;

– “Bloqueio e Controle de Criadouros”: trata-se da remoção e/ou tratamento dos criadouros encontrados nos imóveis vistoriados e realização de busca ativa de novos pacientes que apresentem sintomas, quando da verificação de um caso positivo de Dengue ou de casos suspeitos de Chikungunya e Zika na região delimitada;

– “Bloqueio Nebulização”: é a aplicação de inseticida com objetivo de diminuir a infestação de mosquitos adultos possivelmente infectados em áreas de transmissão, ou seja, quando da constatação de um caso positivo de Dengue ou de casos suspeitos de Chikungunya e Zika na região delimitada;

– “Arrastão”: consiste na remoção massiva de recipientes, objetivando a diminuição da infestação através do “sequestro de ovos” fixos às paredes dos mesmos e retirada de criadouros com larvas, além de evitar a presença de materiais passíveis de se tornarem criadouros de mosquito;

– “Avaliação de Densidade Larvária (ADL)”: trata-se do levantamento da infestação do vetor, realizada para verificar os locais com maior quantidade de larvas de mosquito. Realizamos uma avaliação agora neste mês de outubro, estamos finalizando a inserção dos dados no sistema estadual para posterior publicação dos resultados.

– “Pontos estratégicos”: são locais com presença de recipientes com potencial para acúmulo de água e proliferação de mosquitos, principalmente desmanches, borracharias e locais com recolhimento de materiais recicláveis, que são frequentemente vistoriados e tratados com larvicidas e adulticidas para diminuir a infestação de mosquitos;

– “Imóveis Especiais”: são locais com grande circulação de pessoas, como escolas, indústrias, hospitais, supermercados, nos quais são realizadas vistorias e realização de orientações, remoção de criadouros e tratamento químico, quando necessário.

Nesta semana as equipes estão trabalhando com “casa a casa” e “bloqueio e controle de criadouros” nos bairros Ipanema Ville, São Bento, Jd. Eliana, Nova Sorocaba, Fiore, Vl Angélica, Jd Carolina. Equipes de nebulização estão no Jd Simus e Laranjeiras.