PM repudia trabalho escolar em Sorocaba e pede providência contra professor de filosofia

Um trabalho escolar sobre “Violência Policial” na disciplina de Filosofia no curso de Ensino Médio na Escola Estadual Professor Aggêo Pereira do Amaral, na região da Árvore Grande em Sorocaba, despertou a Polícia Militar do Estado de São Paulo para fazer um manifestação pública em sua página de Facebook. O objetivo do trabalho, coordenado pelo jovem professor Valdir Volpato, era o de promover uma reflexão sobre o quanto a Polícia Militar viola os deveres morais, éticos e legais com ações que contrariam as leis. No foco do professor, segundo sua metodologia de trabalho, estão relatos de violência policial contra a população. A base de dados são notícias dos jornais O Estado de S.Paulo e sites de Internet UOL, Exame e Visão.

O episódio mais recente, ainda sem resposta, é a chacina ocorrida em Osasco onde dezenove pessoas foram executadas e as suspeitas recaem sobre PMs. Na terça-feira passada, em Sorocaba, o governador Geraldo Alckmin falou sobre o assunto e disse que seu governo repudia PMs que agem fora da lei. Ele informou que neste ano 400 policiais foram expulsos da corporação que possui 130 mil soldados e que essa é sua determinação para quem comete desvio de conduta.

A seguir, leia a íntegra da manifestação da PM:

“ESCLARECIMENTO E REPÚDIO

Cabe à Diretoria de Ensino, Região de Sorocaba, pronunciar-se sobre a veracidade do material e sobre a real qualidade de professor do senhor VALDIR VOLPATO.

Não queremos acreditar que, em pleno século XXI, profissionais da área de ensino posicionem-se de maneira discriminatória, propagando e incutindo o discurso de ódio em desfavor de profissionais da segurança, estimulando seus alunos a agirem sem embasamento e direcionando-os de acordo com ideologias anacrônicas, que em nada contribuem para a melhoria da sociedade.

A Polícia Militar de São Paulo e seus policiais, retratados numa infeliz charge, sempre difundida por determinados e conhecidos grupos, sempre foi e será grande defensora dos Direitos Humanos e dos deveres morais, éticos e legais da sociedade.

Estimular trabalhos apenas com pesquisas em Internet, matérias jornalísticas e material de criação confeccionados por pessoas parciais, está longe de ser uma metodologia aceitável. É preciso ter responsabilidade no processo de ensino.

A Polícia Militar está, como sempre esteve, de portas abertas a quem quiser conhecê-la e repudia a postura do infeliz professor, caso efetivamente tenha ocorrido esse erro lastimável.

CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PMESP”

Comentários

Leia também