Polêmica do Kit-Covid

Por que ser contra o Kit-Covid, me pergunta o leitor Marum em minha postagem de ontem (Prefeito sob pressão). Vou responder a ele e outra dezena de amigos que se manifestaram com respeito. Por tabela, serve de resposta também aos mal-criados que não apenas me xingaram, mas também desejaram que eu venha a ser contaminado pelo vírus.

Antigamente, sem a medicina e a ciência, quando uma pessoa adoecia, ele ia no curandeiro. Com a evolução do Homem, ele inventou mecanismos para se curar e prevenir de enfermidades. Assim, se criou socialmente um dos maiores elos de nosso Cultura que é a relação Paciente/Médico. Ao ser receitado pelo médico, o paciente vai cheio de fé para casa de que irá se curar.

Como é sem eficiência ou eficácia contra a Covid, quando o paciente recebe o Kit ele sai da consulta com a certeza de que o remédio vai funciona do contrário, está imbutido no pensamento do paciente, ele pensaria: por que o médico me deu se não funciona?

Pois bem, o Kit não é Ciência e não serve para A) combater a Covid; B) prevenir a Covid; C) amenizar os efeitos da doença (minha amiga Miriam Nazareth chegou a dizer, pois então suponho que ela acredite nisso, que o Kit-Covid tira com a mão a doença quando tomada nos primeiros dias).

Meu amigo médico, Tadeu Morad, postou um argumento bem lógico, sobre casos relatados de que tal Kit faz bem, mas logo em seguida o leitor André Pudim disse o que a Ciência já comprovou: mesmo sem tomar o kit o doente também se recupera. Ou morre, mesmo tendo tomado como é o caso do senador Major Olímpio.

Estamos, a sociedade inteira, médicos, cientistas e população em geral, diante de um problema novo e que pouco se sabe sobre ele. O que se mostra eficiente e eficaz até o momento é a vacina, máscara e isolamento. Em que pese algumas pessoas, como o leitor Nelson Zanetti, ainda ter dúvidas sobre se a vacina faz mesmo bem, embora ele tenha “certeza” que o Kit faz.

Voltando às perguntas do Jorge Marum: Qual o problema? Foi feito em Porto Feliz (o prefeito é médico) e em outros lugares com sucesso. Até o Davi Uip tomou (escondido). Se há chance de salvar vidas, evitar que pessoas vão para a UTI, por que ser contra?

Aí é que está Marum: é mentira que o Kit evita que as pessoas vão para a UTI, assim como é mentira que houve sucesso em Porto Feliz (os casos de lá são muito parecidos com os das cidades de mesmas características, com a população vivendo isolada no campo agrícola). Isso é tão verdade que os laboratórios que produzem as substâncias do Kit afirmam, categoricamente, que tais medicamentos não curam, previnem e nem amenizam a Covid.

Ciência é o que se faz um milhão de vezes e 60%, 70%… 100% delas se obtém o mesmo resultado. Por isso vacina, máscara e isolamento são Ciência.

Crença é o uso do Kit-Covid, Marum. E aí volto para sua pergunta inicial: Qual o problema? Do ponto de vista da saúde, o que já li, me diz que são vários problemas, afinal alguns dos remédios do Kit afetam a glicemia de quem tem diabetes, por exemplo. Outro afeta quem é cardiopata. E em quem não tem doença alguma, não faz efeito algum. Ou seja, chegamos ao problema financeiro: a compra do Kit-Covid com dinheiro público é desperdício de recursos, já que comprovadamente não traz efeito algum, o que leva os prefeitos que compram esse Kit a responder criminalmente pelo seu ato. O Ministério Público, suponho, fará isso. Mas você, como promotor de justiça, sabe mais disso do que eu.

Por fim, Marum, sua última colocação:  Você só é contra o Kit por que é o “remédio do Bolsonaro”? Não, sou contra pelos motivos acima apontados. E, confesso, surpresa com a afirmação “remédio do Bolsonaro” uma vez que se ele estiver beneficiando alguém, alguma empresa ou laboratórios com o uso do cargo ele estará cometendo crime grave. Então, confesso, nunca imaginei que o presidente pudesse ser o dono desse Kit.

Uma palavra final, essa diretamente à Regina Sabanae, irmã da Rose, Celso e Carlos, amiga de minha infância na Vila Santana. Não Regina, o Japão não está curando nenhum dos seus cidadãos com remédios do Kit e muito menos sem vacina. Infelizmente não há mágica.

Comentários

Leia também