Prefeito amplia diálogo com haitianos sem divulgar quantos vivem aqui

O prefeito Crespo participou, no final da tarde deste sábado, de um encontro com a comunidade haitiana que vive em Sorocaba, mas ao contrário da reunião de 2017, onde informou que haviam 3 mil haitianos vivendo em Sorocaba, dessa vez a assessoria do prefeito não divulgou qual é a população daquele país que está em nossa cidade. Assim como no encontro de 2017, ficou claro que os problemas dos imigrantes é o mesmo: ausência de documentação, dificuldade com o idioma e necessidade de serem inseridos no mercado de trabalho.

Organizado pela Secretaria de Cidadania e Participação Popular, o encontro, realizado na Casa do Cidadão do Éden, teve o objetivo de ampliar o campo de diálogo dos haitianos com o Poder Público local, assim como eles apresentassem suas demandas e necessidades.

Esta foi mais uma reunião envolvendo integrantes da Secid, Secretaria de Igualdade e Assistência Social – e a primeira com a participação do prefeito – e contou com a participação de mais de duzentas pessoas. Como muitos chegaram recentemente ao Brasil e ainda não aprenderam a falar português – no Haiti a principal língua é o francês – houve a necessidade da tradução, feita por outros aqui estabelecidos a mais tempo.

A secretária de Cidadania e Participação Popular, Suélei Gonçalves, destacou a importância do evento e ressaltou a atenção que o governo municipal dará, sobretudo para gerar mecanismos abrangentes e inclusivos na qualificação profissional e empregabilidade; atenção à saúde – onde os haitianos apontaram dificuldades para comunicação no momento da procura por atendimento, entre outros pontos. “Queremos, cada vez mais, estabelecer esses encontros com objetivo de auxiliar essa comunidade. A participação do prefeito nesta reunião é uma demonstração de que esse governo está atento e disposto a ajudar naquilo que estiver ao alcance do Poder Público Municipal”, disse a secretária.

O prefeito Crespo ouviu atentamente aos testemunhos feitos por alguns haitianos, como viviam naquele país e como chegaram ao Brasil e a Sorocaba e também sobre atual situação no município. Como a de Bony Louissint, uma das lideranças da comunidade haitiana na cidade. Disse que as necessidades do grupo são variadas. “Como chegamos sem documentação temos dificuldade em encontrar emprego e em ter atendimento médico, em buscar qualificação formal”, destacou o representante.

O prefeito destacou a importância do encontro e colocou a administração à disposição da comunidade haitiana, lembrou que as pastas que tratam do assunto deverão planejar ações no sentido de auxiliar a comunidade nas respectivas áreas de atuação. “Vamos fazer um levantamento de todos os processos que se encontram espalhados na Prefeitura e ver o que é preciso para agilizá-los. Também vamos levantar as principais demandas da comunidade para ver aquilo que podemos auxiliar dentro do que compete na esfera municipal”, disse o prefeito.

O chefe do Executivo sorocabano também destacou a importância de a comunidade se organizar, com a criação de uma associação, para que todas as demandas possam ser conhecidas, por meio de uma comunicação oficial e de forma mais ágil.

Durante o encontro o prefeito José Crespo foi elogiado diversas vezes pelos participantes, ao destacarem ter sido o seu governo aquele que efetivamente tem atuado em prol dessa comunidade. “Hoje é um dia de grande alegria para nós, por estamos aqui neste espaço com conversando diretamente com o principal representante de Sorocaba, que é o prefeito José Crespo. Percebi o quanto ele, assim como a secretária Suélei, são atenciosos e sensibilizados com os nossos relatos e estão dispostos a nos auxiliar”, disse Piterson Syrilsaint, de 30 anos, ao lado da esposa Marie Chantale Chery.

Comentários

Leia também