Prefeito eleito disse que vai pedir ao atual prefeito que envie à Câmara até o final desse ano projeto com a reforma na estrutura da prefeitura a partir de 2017. Se levar adiante essa intenção ouvirá um sonoro não como resposta

crespoO prefeito eleito José Crespo (DEM) apresentou a reestruturação administrativa que fará na Prefeitura a partir de desmembramentos de pastas já existentes, aumentando de 15 para 22 o número de secretarias e extinguindo 4 diretorias com status de secretários (Urbes, Saae, Corregedoria e Parque Tecnológico) o que na prática deixa elas por elas. A Funserv (Fundação dos Servidores Públicos Municipais), pelo que entendi, também entraria nessa mudança. Mas como é um organismo particular que cuida das aposentadorias é preciso detalhamento para se saber o que ele pretende e baseado em qual legislação. Mas 4 diretorias, me ficou claro, só mudam o nome para secretarias.

A equipe do prefeito eleito e a futura estrutura da Prefeitura estão em postagem anterior.

O fato é que no sábado, quando do anúncio, Crespo falou de sua amizade e bom relacionamento com o atual prefeito Pannunzio e vai pedir a ele que envie um projeto de lei agora, em seu mandato, pedindo estas mudanças para que ele assuma dia 1º de janeiro de 2017 com todos já trabalhando.

Se levar adiante essa intenção, ouvirá um sonoro não de Pannunzio. Ao vivo nesta quarta-feira, no Jornal da Ipanema (FM 91,Mhz), na coluna O Deda Questão, vou questionar o prefeito a respeito disso. Mas antecipo que ele não concorda com as mudanças e entende que ela vai aumentar o custo da máquina administrativa num momento em que a situação econômica exige que existam cortes. Pannunzio, vale lembrar, cortou 5 secretarias da administração anterior, de Vitor Lippi, de seu partido, e não vai sair deixando sua assinatura num projeto que aumenta os custos contrariando o que ele acredita.

Além disso, foi no seu primeiro mandato que Pannunzio criou a Funserv como entidade independente que cuida da aposentadoria dos servidores e não vai querer deixar sua marca numa mudança que, na prática, pelo pouco que entendi, vai deixar a Funserv como um apêndice da secretaria de Recursos Humanos, que renasce da divisão da pasta de Administração.

Na foto, Crespo ao centro, na primeira reunião com os futuros secretários do Gabinete Central, Hudson Zuliani; de Gestão de Pessoas, Rodrigo Moreno; e de Comunicação e Eventos, Eloy de Oliveira. Além dos advogados Gustavo Barata (ex-corregedor no governo atual), Marina Elaine Pereira (ex-candidata a vereadora do PDT) e Mário Mortara, que vão atuar como voluntários nesta transição.