Prefeito manda privatizar a Oficina do Saber (que serão creches) e pede estudos para a privatização do estádio municipal (CIC) e Arena Multiuso. Além disso quer fundação para administrar o zoológico e ceder praças à iniciativa privada

Oficina

Construída no governo Lippi e desativada no governo Pannunzio, Oficina do Saber será privatizada e se tornarão creches no governo Crespo

Na entrevista mensal que concede em seu gabinete à rádio Ipanema (FM 91.1Mhz), na manhã de hoje (27/04) o prefeito Crespo revelou cinco decisões que revelam o que ele pensa que deve ser responsabilidade do Estado (no caso dele o município) e o que o Estado (no caso município, frise-se) deve apenas ser um orientador e balizador do cumprimento de contratos a serem estabelecidos com a iniciativa privada. Não há surpresa nas ações do prefeito. Além de fazer parte do DEM (que no Brasil é um dos partidos de sustentação do liberalismo) no momento, o prefeito esteve em sua longa vida pública sempre ligado e militando por partidos ligados a essa visão de mundo como o caso da Arena (que deu origem ao PDS e PFL dos quais ele também fez parte).

Oficina do saber

São 15 prédios das unidades Oficina do Saber construídos na gestão do prefeito Vitor Lippi e desativados na gestão do prefeito Pannunzio. A Oficina do Saber nasceu para as aulas extras ao currículo regulamentar do ensino fundamental do município deixando o estudante em tempo integral na escola. Pannunzio tinha a intenção de modificar esse conceito, mas acabou simplesmente deixando-o de lado. Ao ver os prédios vazios, em conversa com a secretária de Educação Marta Cassar, entendeu que eles podem ser cedidos à iniciativa privada para que o vencedor da licitação adapte cada um deles para que sejam creches, contratem professores para essas creches e assim ver resolvido o déficit de vagas em creches em Sorocaba que hoje é superior a 3 mil. Caberá à prefeitura ser a responsável pela orientação pedagógica dessas creches. Ele não quis dar data de quando isso começa, mas disse que terá até 2020 para cumprir isso que já é decisão tomada.

CIC e Arena

O secretários de Esportes, Simei Lamarca, já havia anunciado em rede social a intenção, mas na entrevista de hoje o prefeito confirmou que solicitou estudos (ainda em curso e sem conclusão) para a privatização do Estádio Municipal Walter Ribeiro, o CIC (Centro de Integração Comunitária) inaugurado em 1978 e que desde então é onde são mandados os jogos do São Bento. O mesmo estudo visa a privatização da Arena Multiuso (onde o Magnus manda os jogos de futsal) que começou a ser construída no governo Lippi e desabou ainda em obras no governo Pannunzio que terminou a obra.

Zoológico

Para o Parque Municipal Zoológico Quinzinho de Barros, fundado em 1968 e considerado o principal zoológico do Brasil quando analisado sob diversos aspectos, que reúne milhares de bichos (vai de leão a elefante, passando por cobras, ariranhas, macacos e aves) também é alvo do prefeito. Ele entende que neste caso o melhor modelo para sua gestão é o de uma fundação que venha arrecadar dinheiro e não seja como é, ao longo de sua história, unicamente dependente do dinheiro do orçamento da prefeitura.

Praças e parques

Outro estudo em curso é como a prefeitura poderá ceder a manutenção de praças e parques municipais para a iniciativa privada que terá a responsabilidade em cuidar do espaço público e, em troca, tendo o direito de colocar sua placa de publicidade numa maneira de marketing social e comunitário que está cada vez mais em voga em cidades dos Estados Unidos (prática que existe desde a década de 60), Japão e Europa.