Prefeito quis ser engraçado, mas foi machista e gera reações de ouvintes da rádio

Deda

O prefeito Crespo concedia uma de suas entrevistas mensais ao Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz), em seu gabinete, hoje (25/05) por volta das 7h50 quando o assunto, que começou com a nova crise política que paralisa as ações do governo que influenciam na economia e chegou até a assessora externa recém contratada pela Prefeitura de Sorocaba para atuar em Brasília. Neste momento, via whattsapp, um ouvinte, o Sérgio, me sugeriu de perguntar ao prefeito sobre o currículo da nova assessora. Crespo demonstrou um certo incômodo com a questão. O ouvinte me relatou que o prefeito faz mistério sobre quem é e fez Fernanda Mariano, o que não há motivo, me parece. Ainda deixei o prefeito à vontade para que dissesse o que podia, afinal 3 horas depois haveria a entrevista coletiva onde a assessora seria apresentada.

Foi neste contexto que o prefeito subiu o tom, e mesmo frisando que se tratava de “brincadeira” e disse que “se você (Deda) quiser beliscar ou saber a cor da calcinha dela, ela não vai abaixar, mas vai mostrar para que você, mate sua curiosidade”. Minha reação, no momento, foi a de dizer que eu não trato de questões pessoais dos meus entrevistados, mas apenas o que é de interesse público. O prefeito percebeu que não aceitei sua “brincadeira” e voltou à normalidade da entrevista, mas não sem deixar transparecer certa irritação: “Se as pessoas têm suspeita de que ela exista ou não, em tom de brincadeira, querem beliscar para saber se ela existe, que venham [à coletiva]”. Num outro momento disse: “Querem até saber qual o tamanho do sutiã dela, se gosta de chocolate, quantos namorados teve”, criticou em tom irônico. “Essa moça é uma excelente profissional”, enfatizou, mas ai seriamente. Mas o estrago, diante do ouvinte da rádio ao menos, já estava feito.

Reação imediata dos ouvintes

Embora, tivesse tido a intenção de brincar e descontrair a sua entrevista, a fala do prefeito teve um impacto imediato entre os ouvintes: Fiz uma pergunta ao prefeito a respeito do currículo da Fernanda Mariano e aí, na intenção da jocosidade, ele falou que pode beliscar, que ela é de verdade, de carne e osso. Se quiser saber o número do sutiã pode perguntar, a cor da calcinha… Ele tentou ser brincalhão, mas foi absolutamente machista.

Um pai que levava a filha de 11 anos para a escola, Valdir, me contou o susto que ele levou ao ouvir o prefeito falando que eu podia ver a cor da calcinha da nova funcionária: “O prefeito tem de entender que quando ele fala, ele fala para todo mundo inclusive para crianças. O prefeito quis brincar, mas falar de cor de calcinha e número do sutiâ de uma mulher é um exagero sem noção. Fico pensando se a assessora tem filho e ouve o prefeito falando da mãe dele. Que decepção.”

Reação das vereadoras

Na Câmara de Vereadores de Sorocaba, as duas mulheres no exercício do mandato se manifestaram.

Iara Bernardi resumiu a atitude do prefeito Crespo como “machismo inadmissível”. Ela afirmou: “Fiquei impactada. Nos envergonha quando o prefeito fala essas coisas. Ele toma certas atitudes que não condizem com a figura pública de prefeito da cidade. Esta manifestação de machismo é inadmissível. Fiquei envergonhada, pessoalmente, como mulher. Ele tinha que se portar melhor. Tem que vir a público se desculpar”, criticou.

O presidente do PT em Sorocaba, vereador França, usou a tribuna para “repudiar a fala do prefeito durante entrevista à Rádio Ipanema. Isso não é postura. O prefeito tem que medir um pouco as palavras. Hoje ele é chefe do Executivo. O que ele fez não é postura de um prefeito do porte de Sorocaba”, acusou.

A vereadora do PSOL, Fernanda Garcia, também se posicionou contra a fala de Crespo.