Prefeito ratifica que vice não faz mais parte do governo e por isso não tem sala. Sobre encontro no TJ para conciliação, prefeito diz que não recebeu convite

CrespoA vice-prefeita decidiu recorrer à Justiça para reaver a sala que ocupava na sede da Prefeitura de Sorocaba desde que foi tirada do governo pelo prefeito Crespo, mas seu pedido de liminar foi indeferido primeiramente pelo juiz Alexandre Dartanhan de Melo da comarca de Sorocaba e depois pela desembargadora do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), Isabel Cogan. A sequência seria ela esperar pelo julgamento do mérito da ação, mas após insistência do seu advogado, o que a desembargadora classificou de atípico, agendou para a próxima quinta-feira (03/08) um encontro de conciliação entre as partes. A convocação do prefeito ficou para ser feita de maneira eletrônica.

Porém, ao vivo na manhã de hoje no Jornal Ipanema (FM 91,1Mhz), onde concedeu sua entrevista mensal nos estúdios da emissora à coluna O Deda Questão, o prefeito afirmou que não recebeu comunicado algum sobre esse encontro no TJ. Mais, afirmou que soube desse agendamento porque é ouvinte da rádio e soube pelo meu noticiário de que havia essa decisão da desembargadora. Sem convite, afirmou o prefeito, ele não vai no encontro de quinta-feira. Mas se chegar, ele disse que está disposto a ir. O prefeito ainda afirmou que um encontro como esse, diante de uma juíza, é uma oportunidade para ele explicar porque a vice deixou de fazer parte do governo, afinal a “vice-prefeita Jaqueline Coutinho continua sendo vice e tem acesso a quaisquer dependências, tanto da prefeitura, do Paço Municipal, do 6º andar. Simplesmente ela não está mais atuando dentro do governo e ela não tem espaço próprio porque a legislação e, até mesmo a Constituição Federal, não indica isso, mas é só essa a diferença”, disse.

Insisti se ela não terá espaço no Paço e o prefeito afirmou que “não, afinal ela não é do governo e, portanto, não tem espaço de trabalho; ela não comanda uma secretaria, não tem função definida, a não ser a representação. Qualquer vice pode e deve representar o prefeito em momentos da vida política”. Mais adiante, conclui: “O espaço é o de menos. Ela tem, como qualquer cidadão, o espaço de ocupação de trânsito dentro da prefeitura”.

Neste ponto da entrevista, subi o tom de voz e voltei a pergunta ao prefeito se a vice não terá sala, terá seus dois assessores, terá lugar para sentar e receber quem quiser e Crespo volta a frisar que o cargo de Jaqueline é de expectativa e que ela “não há necessidade”.

FOTO: Prefeito Crespo esteve nos estúdios do Jornal Ipanema na manhã desta terça-feira como faz uma vez por mês