Prefeito resistia aumentar o preço da tarifa de ônibus de Sorocaba, mas acabou convencido de que é melhor esse desgaste político agora do que o risco de criar um colapso no sistema de transporte daqui meses

FranchimLuiz Carlos Franchim, presidente da Urbes – empresa pública que gerencia o trânsito e transporte de Sorocaba – acabou convencendo o prefeito Crespo de que evitar o aumento no preço da passagem de ônibus em Sorocaba neste momento significaria colocar em risco de colapso o sistema ou da Prefeitura aumentar o repasse do subsídio dos ônibus, que chegou a R$ 70 milhões no ano passado.

O prefeito acabou topando o desgaste político de que qualquer aumento provoca, por menor que seja, deste momento do que o desgaste político de ver o sistema falir ou o caixa da prefeitura ficar tão fragilizado que ele não consiga honrar o aumento salarial dos funcionários públicos, por exemplo, o que ele pretende fazer até maio.

Os detalhes da planilha, valores, datas e tudo o mais ficou de ser anunciado, de modo oficial através da Secretaria de Comunicação da Prefeitura, ainda nesta terça-feira, não tive acesso até o fechamento deste blog.

Em agosto do ano passado, depois da mais longa greve de motoristas da história da cidade, o então presidente da Urbes, Wilson Unterkicher, conhecido por Kuka, já alertava ao prefeito de que era necessário aumentar o valor da tarifa para evitar problemas no caixa único do sistema. Daquele momento até agora, quando se decide pelo aumento, se passaram 5 meses.

Essa informação, em primeira mão, foi dada pela coluna O Deda Questão no programa Flash News da rádio Ipanema (FM 91,1Mhz) e na Live do Portal Ipanema no Facebook.

Na manhã desta quarta-feira, a partir de 8h30, o presidente da Urbes vai conceder entrevista ao vivo no Jornal Ipanema (FM 91,1Mhz) que será simultaneamente exibido pelo portal online da Ipanema.

Comentários

Leia também