Prefeito se sente vitorioso nas primeiras batalhas de “agosto, o mês do desgosto” ou “mês do cachorro louco”. Acompanhe o raciocínio de quem está no poder

RenanAgosto é o mês – conforme a crendice popular (leia abaixo a origem) – que provoca calafrios nos supersticiosos. Na política sorocabana o mês começou com a entrevista do prefeito Crespo na coluna O Deda Questão, no Jornal Ipanema (FM 91,1Mhz), na terça-feira (dia 1º) provocando reações de membros do governo anterior e do sindicato dos servidores públicos – leia postagens anteriores.

Teve sequência, no dia 2, com os depoimentos da Comissão Processante na Câmara que busca saber se na briga entre o prefeito e a vice houve crime de prevaricação (impediu a apuração de problema na administração) ou agressão.

Hoje, dia 3, foi protocolada a criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Ônibus na Câmara de Vereadores.

Pedi a uma pessoa bastante próxima do prefeito Crespo (que só topou fazer a análise que segue se ficasse mantido o sigilo da fonte) para me explicar como ele interpretou esses fatos. E ele se ente vitorioso em cada um deles. Entenda o motivo:

Comissão Processante

Os depoimentos da CP (Comissão Processante) foram positivos para o governo. Principalmente o do Hudson Zuliani (chefe de Gabinete Central), que foi rigorosamente a favor do prefeito, ou seja, os depoimentos colocam por terra todas as alegações anteriores. A vice-prefeita se complica porque não está trabalhando, embora não tenha sido impedida de comparecer e adentrar ao Paço. Este é um detalhe que ninguém falou até agora. Ela deveria comparecer para dar expediente, ainda que não tivesse sala. Está ganhando salário para isso.

Boletim de Ocorrência

Em relação ao BO (Boletim de Ocorrência) é um factóide de uma personagem que está isolada dentro do PSDB, perdeu a eleição, não tem representatividade. Nem mesmo em nome do partido que ele preside conseguiu fazer um BO. Mas, independentemente disso, todas as denúncias feitas pelo prefeito foram documentadas e enviadas ao Tribunal de Contas do Estado em fevereiro passado e cabe ao TCE investigar e punir.

Sindicato dos servidores

O que o prefeito topou na plenária de sábado, em relação ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba, é que o secretário de Recursos Humanos receba o sindicato para conversar e que comece a construir uma relação melhor. Não que discutiria reajuste para outubro. Até porque o sindicato não topou a mudança da data base. O presidente do SSPMS é um embusteiro e que quer só criar fatos. Os números dele não levam em conta a arrecadação do município. São números atrasados. A crise já tirou muito daquele valor. As planilhas foram mostradas a ele. Quanto menos se arrecada, mais sobe o percentual de gasto com a folha de pagamento. O prefeito não pode dar reajuste para servidores porque isto comprometeria até o pagamento de salários. Por que ele não pediu ao presidente da Câmara de Vereadores para ceder parte do duodécimo, como ele disse querer oferecer aos motoristas e não ofereceu?

CPI dos Ônibus

Com onze assinaturas, a Câmara de Sorocaba criou a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Transportes. Somado com a assinatura do presidente da Casa, são 12 assinaturas, ou seja, mesmo tendo postergado a sua criação, quando haviam 9 vereadores (o número necessário é 7), a Câmara não saí do G12. Isso quer dizer que são 5 vereadores que se elegeram na oposição e 7 que ajudaram na eleição do prefeito Crespo. Deixo para o seu leitor, que é inteligente, raciocinar a respeito e perceber se há algo de estranho nisso. O que seu leitor acha que levou esses vereadores a se desgarrarem do grupo? Fora isso, o prefeito adora CPI e ele, quando vereador, foi um dos campeões de CPI. Ele é da máxima, quem não deve não teme.

Entenda a crendice sobre Agosto

Há mais de uma origem para a crendice de que agosto é o mês mais agourento do calendário. Reproduzo abaixo reportagem de Júlia Warken, do site MdeMulher (http://mdemulher.abril.com.br/cultura/por-que-agosto-e-considerado-o-mes-do-desgosto/#) que explica com fatos essa máxima da cultura brasileira.

Mesmo que você não seja supersticiosa, certamente já ouviu falar que agosto é o “mês do desgosto”. É o tipo de coisa que as avós falam quando julho acaba, né? E essa má fama é bem mais antiga do que as nossas avós, mas pouca gente realmente sabe qual a sua origem.

Na verdade, há mais de uma explicação para essa crendice tão popular e ela não existe só aqui no Brasil. No século 1, os antigos romanos já temiam o mês de agosto, por acreditar que, nessa época, um dragão cuspindo fogo aparecia no céu durante a noite. Seria um dos filhos de Daenerys Targaryen? Nada disso. Era apenas constelação de Leão, que fica mais visível durante o período do ano.

Pulando alguns vários séculos, a clássica rima “agosto é o mês do desgosto” surgiu em Portugal, durante a época dos descobrimentos. Originalmente, a expressão era “casar em agosto traz desgosto”, pois as caravelas costumavam partir para o Novo Mundo nessa época. Aí, quem se casava nesse mês acabava nem fazendo lua-de-mel e as noivas corriam o risco de tornarem-se viúvas antes mesmo de aproveitar a fase inicial do casamento.

Outra expressão bem conhecida diz quem agosto é o “mês do cachorro louco”. A origem disso é o fato de que, supostamente, agosto é o mês com maior incidência de cadelas no cio. Por conta disso, os machos ficam ~loucos~ e brigam entre si.

Essas disputas também seriam responsáveis pela proliferação da raiva durante esse mês. Isso porque a doença é transmitida quando um cachorro infectado morde outro. Quando estão com raiva, os cães ficam espumando pela boca, o que contribui para que eles pareçam loucos.

Além disso tudo, alguns acontecimentos históricos muito marcantes também contribuíram para que agosto levasse a fama de agourento. No dia 2 de agosto de 1934, Hitler tornou-se líder da Alemanha – todo mundo sabe no isso resultou. Já em 6 e 9 de agosto de 1945, Hiroshima e Nagazaki foram atacadas pelas bombas atômicas, culminando numa das tragédias mais emblemáticas do século 20.

Aqui no Brasil, dois episódios políticos muito marcantes também aconteceram nesse mês. No dia 24 de agosto de 1954, o então presidente Getúlio Vargas cometeu suicídio no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro. Já em 21 de agosto de 1961, Jânio Quadros renunciou à presidência.

 

FOTO: Vereador Renan Santos (PC do B) protocola a criação da CPI dos Transportes na Câmara. Ele será o presidente e o vereador Hudson Pessini (PMDB) será o relator