Prefeito turrão

JaqueAdvogadoO oficial de justiça Pedro Marcelo, – com a decisão da desembargadora Isabel Cogan determinando que a vice-prefeita Jaqueline Coutinho “tenha livre acesso às instalações da Prefeitura de Sorocaba e à ocupação do gabinete antes ocupado” por ela – esteve de plantão das 10h às 16h no Palácio dos Tropeiros nesta segunda-feira esperando pelo prefeito Crespo para que ele assinasse o ofício e, assim, a vice reocupasse sua sala. Mas não o encontrou. O prefeito se ausentou da prefeitura para cumprir agenda não divulgada pela Secretaria de Comunicação.

A vice-prefeita, acompanhada de seu advogado, Márcio Rogério Dias, esteve na Prefeitura por volta das 16h. Parou seu carro na vaga destinada a ela no estacionamento oficial da prefeitura e voltou para casa. Lamentável foi o sentimento do advogado em relação ao não cumprimento da ordem judicial. Inconformada foi o sentimento revelado pelo advogado sobre o que sentia a vice-prefeita.

O secretário jurídico da Prefeitura, Eric Vieira, esteve desde o meio-dia até 15h no TJ em São Paulo. Assim que o prefeito foi oficiado, ele protocolaria um agravo para derrubar a decisão da desembargadora. Se ele faz o agravo antes da intimação, fica entendido que o prefeito já estava oficiado. Por isso, somente após o prefeito receber e assinar o ofício é que haverá a tentativa de derrubar a liminar do TJ.

O secretário de Gabinete Central, Hudson Zuliani, atendeu e combinou com o oficial de justiça de que o prefeito vai atendê-lo para assinar a ordem judicial nesta terça-feira às 12h30. Porém, fica a dúvida se o prefeito estará na rádio Cruzeiro FM (cumprindo rodízio semanal das entrevistas que concede às emissoras da cidade) e também no hasteamento da bandeira no Paço. Às 15h30 está confirmada a presença do prefeito na Câmara onde ele vai dar depoimento na Comissão Processante que investiga se houve crime (prevaricação e agressão) por parte do prefeito no atrito com a vice no dia 23 de junho passado.

O secretário de Comunicação, Eloy de Oliveira, apesar da insistência, disse apenas que não iria divulgar a agenda do prefeito e o que ele fez das 10h quando deixou o Paço até o final da noite de hoje.

O clima entre os secretários é de constrangimento. Todos têm ótimo relacionamento com o prefeito, porém igualmente ótimo com a vice. Alguns, eu sei, tomaram a iniciativa de pedir ao prefeito para que recomece uma relação com o prefeito.

O problema é que faltam elementos concretos para que seja possível compreender o que está acontecendo, ou seja, o motivo do prefeito ter desejado ganhar tempo ao não atender hoje o oficial de justiça.

Um fato, porém, é incontestável na minha interpretação: existia o momento do atrito do prefeito e da vice até quinta-feira passada, quando houve a decisão do TJ, e desde hoje (quando o prefeito deixou o Paço e quem sabe para onde ele foi não quis divulgar) o momento é outro.

Não há dúvida, entre as pessoas próximas, de que o prefeito vai cumprir a ordem da desembargadora exatamente no que diz a tutela antecipada da decisão. Mas sobram interrogações a respeito de como se dará essa relação. O prefeito, apurei, é turrão o que quer dizer teimoso. Mas o dicionário também diz que é cismado, obstinado, rabugento, brigão.

A oposição (o que inclui pessoas ligadas ao PSOL e ao PSDB) se divertiu com o sumiço do prefeito fazendo piadas, mas toda ela apontando para o constrangimento criado pelo prefeito ao ter uma agenda fora do Paço e da qual nem os seus assessores podem dizer qual é.