Prefeitura identifica irregularidades em aprovação de construção de prédios da MRV na confluência da rua João Wagner Wey com a marginal da Raposo Tavares e manda parar a obra com base em parecer do Ministério Público

MRVinterditada1

Barreiras de concreto do tipo “New Jersey” são colocadas por ordem da prefeitura

Um condomínio de prédios de apartamentos residenciais (empreendimento residencial Parque Salamanca) que vinha sendo construído na confluência da marginal da Rodovia Raposo Tavares, esquina com a rua João Wagner Wey, região conhecida como Jardim América, foi interditado pela Secretaria de Planejamento e Projetos da Prefeitura nesta quarta-feira (12/04). A Prefeitura averiguou que o futuro condomínio está em desacordo com o Plano Diretor do município.

A interdição foi determinação do secretário municipal de Planejamento e Projetos, Luiz Alberto Fioravante, com base em parecer técnico do Ministério Público. Na Ação Civil Pública, houve o entendimento de que o empreendimento deixou de atendeu as exigências.

A MRV Engenharia e Participações S/A, empresa responsável pelo condomínio, foi notificada sobre a interdição e embargos da continuidade das obras. Na sequência foram colocadas barreiras de concreto do tipo “New Jersey”.

A decisão foi baseada no relatório de avaliação do Centro de Apoio Operacional à Execução (Caex), órgão que oferece suporte técnico-operacional e serviços de informação/inteligência às Promotorias e Procuradorias de Justiça do Estado de São Paulo. A manifestação do Caex se deu em Ação Civil Pública presidida pelo promotor de Justiça Jorge de Oliveira Marum.