Presidente da CPI dos Transportes quer entender porque prefeitura subsidia empresas e ressalta que o problema começou durante o governo do PSDB

RenanCPIlixoO vereador Renan Santos (PCdoB), presidente da CPI do Transporte Público Coletivo de Sorocaba, foi meu entrevistado na coluna O deda Questão no Jornal Ipanema (FM 91.1Mhz) na manhã de hoje e explicou que 60 dias depois de instalada a comissão persegue a resposta para a pergunta: Por que a Prefeitura repassa entre R$ 55 milhões e R$ 70 milhões de subsídio, por ano, para as empresas que operam o sistema.

A CPI, preliminarmente, já descartou que o problema seja o salário dos motoristas e o número de usuários dos ônibus (que hoje está menor do que há dez anos, quando a cidade era bem menor). E descartou porque comparou o sistema de Sorocaba com o de São José dos Campos onde o sistema é autosuntentável (não há repasse de dinheiro público às empresas).

Ao longo da entrevista, Renan deixou claro que o problema não começou no governo da prefeita Jaqueline Coutinho e nem do prefeito Crespo, mas vem dos últimos, dez, quinze, vinte anos. Ou seja, vem do governo do PSDB. Lembrei Renan que atualmente o PSDB é parceiro do PC do B, o seu partido, já que ambos dão sustentação ao governo de Jaqueline. Ele reconheceu que ambos os partidos estão no governo de coalização, devido a todo momento pelo qual passa a cidade, mas que é só. Sua investigação vai fundo independentemente do que vier a ser descoberto e sobre quem vier a recair as responsabilidades.

Renan explicou que esteve reunido com a Secretaria de Mobilidade Urbana de São José dos Campos para entender como o sistema de transporte público funciona naquela cidade e com o custo do vale transporte mais em conta, R$ 4,10.

Com a prorrogação por mais 90 dias da CPI, Renan Santos, continuará investigando os contratos e planilhas em busca de um objetivo: “melhorar a qualidade do transporte coletivo, baixar a tarifa e buscar a solução para que a prefeitura de nossa cidade não subsidie mais esse valor que prejudica o desenvolvimento de nossa cidade”, enfatizou o vereador.

Na próxima segunda-feira (2), às 14h, a CPI irá ouvir o diretor de Transporte Urbano da Urbes, Sérgio Pires Abreu, e o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região, Paulo Estausia, na Câmara de Vereadores de Sorocaba.

A CPI do Transporte Público Coletivo de Sorocaba é presidida pelo vereador Renan Santos (PCdoB), Hudson Pessini (PMDB) como relator e é composta pelas vereadoras e vereadores Fernanda Garcia (Psol), Iara Bernardi (PT), Fausto Peres (Podemos), Francisco França (PT) Péricles Régis (PMDB), Silvano Jr. (PV) e Vitão do Cachorrão (PMDB).