Presidente da Urbes explica aumento da tarifa: “é como vacina contra a febre amarela. Dói, mas resolve”

LuizCarlosFranchimA partir de quarta-feira que vem, dia 17 de janeiro, o usuário dos ônibus do transporte coletivo de Sorocaba vai pagar a mais pela passagem como antecipado pelo programa Flash News (rádio Ipanema FM 91,1Mhz) e Portal On Line no final da tarde terça-feira com a participação deste blogueiro.

Na manhã de hoje, no Jornal da Ipanema, Luiz Carlos Franchim, presidente da Urbes, usou de uma metáfora para explicar esse aumento: “aumentar a tarifa é como a vacina da febre amarela, Dói, mas resolve o problema”.

No caso da tarifa, três fatores levaram à defasagem entre o custo do transporte de ônibus e o preço da tarifa:

1º) Queda acentuada no número de passageiros. Em 5 anos caiu 17% o número de usuário, sendo que desse total 10% foram apenas em 2017. Isso aconteceu devido a crise financeira nacional, onde as pessoas estão sem dinheiro e desempregadas, mas também devido à greve recorde dos motoristas, que durou 40 dias, e o usuário migrou para transporte alternativo, em particular os aplicativos tipo 99, Uber e Cable.

2º) Os ônibus levaram os mesmos passageiros para locais mais longe, o que torna mais caro e de maior custo a viagem. Franchin, nesse caso, se refere aos passageiros que moravam mais próximos do centro e passaram a residir nos dois novos conjuntos habitacionais na divisa de Sorocaba e Porto Feliz: Carandá e Altos de Ipanema. Ou seja, as mesmas pessoas seguiram pagando o mesmo para irem e virem de mais longe.

3º) O preço do óleo diesel, combustível usado pelos ônibus, que subiu 17% apenas em 2017.

O presidente da Urbes explicou que o objetivo foi o de sacrificar o menos possível o usuário que usa o passe social (aumento de 2,44%), pesando no empresário que concede Vale Transporte ao seu funcionário (aumento de 14,13%) e tirando subsídios de onde era um furo no sistema de caixa único que foi possível em anos passados, mas se tornou inviável ao longo dos últimos 5 anos, onde a crise nacional afetou a arrecadação, ou seja, o Passe Estudante segue custando menos da metade do Passe Social, mas teve aumento de 25% e a Tarifa de Domingos e Feriados que subiu 60% devido a baixa procura de passageiros nesses dias.

Outros temas

Franchin confirmou que a implantação do BRT (sistema de transporte rápido de ônibus) e VLT (veículo leve sobre trilho) estão em desenvolvimento pela prefeitura e serão implantados nesse governo; que será respeitada a decisão da Câmara de Vereadores em impedir multas pelo videomonitoramente, em que pese essa fiscalização tenha derrubado em 70% os flagrantes de motoristas no uso do celular ao volante e sem cinto de segurança; explicou que a Urbes, por lei, deixa de ser empresa e passará a ser autarquia; e anunciou 30 novos ônibus com ar e wifi para os próximos meses e a ampliação de faixas exclusivas de ônibus em novas vias, a serem divulgadas.