Presidente do diretório municipal do PSDB minimiza pressão de vereador sobre voto de deputado a favor da Reforma da Previdência e afirma que por razões estratégicas tucanos terão um candidato a deputado federal e um a estadual

JLO presidente do diretório municipal do PSDB, João Leandro da Costa Filho, participou da coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) das 8h30 às 9h30 e depois, na sequência, fez a Live no Portal Ipanema (www.ipaonline.com.br).

Ele fez um balanço positivo sobre o papel do PSDB que depois de 20 anos ganhando a eleição para prefeito seguidamente, foi derrotado em 2016.

Ele enfatizou o papel decisivo da legenda no processo de cassação do mandato do prefeito Crespo; pregou a necessidade do comandante eleito ter postura de respeito aos outros poderes; enalteceu os 43 dias em que a vice-prefeita esteve como prefeita e o seu papel como secretário dele no governo de coalização, elogiando, inclusive, os adversários do PT que fizeram parte do governo (Glauber Piva e Paulo Henrique Soranz).

João Leandro defendeu a necessidade de mudanças no cumprimento do que diz a lei para o SUS (Sistema Único de Saúde) nos repasses de verbas e disse que muitas vezes se culpa a gestão (como no caso de Sílvia Moreira que está a frente do Conjunto Hospitalar de Sorocaba), troca-se o gestor e um mês depois os problemas prosseguem porque o problema não é a pessoa, mas o sistema que impede que ele resolva os problemas. “É como um remendo novo numa roupa velha, em pouco tempo volta a dar problema”, explicou João Leandro.

Estratégia para vencer

O presidente do diretório municipal defendeu a mesma estratégia já defendida anteriormente pela deputada estadual Maria Lácia Amary de que a legenda deve ter apenas um candidato a deputado federal e apenas um a deputado estadual. Para não correr o risco de não eleger ninguém, estrategicamente explicou João Leandro, o partido já está decidido a apoiar apenas uma candidatura, sendo a busca da reeleição de Vitor Lippi para deputado federal e Maria Lúcia Amary para estadual. Ele lembrou que em 2006 o PSDB elegeu dois federais (Renato Amary e Pannunzio) e um estadual (Maria Lúcia Amary), mas que na eleição seguinte, em 2010, os dois candidatos a deputado federal, em que pese terem passado dos 100 mil votos cada um, ficaram de fora e dos dois deputados estaduais, Maria Lúcia foi reeleita na rabeira e José Ailton Ribeiro não se elegeu. Não é prudente correr esse risco em 2018, entende ele, e ninguém no partido,  nem Pannunzio (que foi deputado federal por 4 legislaturas) e nem ele (que foi candidato a prefeito em 2016) vão querer legenda e entendem que devem apoiar as reeleições de Lippi e Maria Lúcia.

Pressão de vereador

Outro tema espinhoso, que João Leandro tratou com sabedoria e não colocou mais lenha na fogueira, diz respeito ao posicionamento do vereador José Francisco Martinez, um dos líderes do PSDB em Sorocaba.

Em pronunciamento na Câmara, semana passada, Martinez deu um recado ao companheiro de partido e deputado federal Vitor Lippi no que se refere à votação da Reforma da Previdência, que deve acontecer em fevereiro no Congresso Nacional. Martinez, que tem em seu eleitorado o funcionalismo público, é contra à proposta do governo federal, e anunciou que não irá apoiar a candidatura de Lippi à reeleição caso ele vote a favor da reforma.

O PSDB anunciou o fechamento de questão em favor da reforma, mas antes disso Lippi já havia anunciado que votaria a favor da Reforma da Previdência.

A pressão, na visão do presidente do diretório municipal do PSDB, é normal. Cada integrante do partido é livre, explicou ele, para ter o pensamento que julgar mais adequado e manifestar e defender ele, mas no momento decisivo o que prevalece são os princípios de cada um e da legenda e isso, afirmou João Leandro, vai acontecer. Ou seja, Lippi vai votar a favor da Reforma da Previdência e conta com o apoio de Martinez em sua campanha.

Comentários

Leia também