Primeiro candidato

O vereador Rodrigo Manga acaba de ser o primeiro a declarar com todas as letras que pretende ser candidato a prefeito de Sorocaba na eleição de 2020. Mas ele faz a afirmação com uma ressalva: “se Deus quiser”. Ele usou a rede social para fazer o seu comunicado e usou a estratégia de estar sendo questionado por alguém com a intenção de votar nele lhe perguntando (e implorando) para que ele diga que será candidato. Seja como for, Manga não esconde que essa é sua meta política para os próximos dois anos, agora que ele deixou a presidência da Câmara Municipal.

Há muita especulação em torno de outras candidaturas, como a de Flávio Amary (sem partido) que acaba de assumir a secretaria de Habitação do Estado de São Paulo. Fiz uma postagem dias atrás decifrando o seu discurso de despedida da presidência do Secovi (Sindicato da Habitação) e interpretando que mesmo estando focado no novo desafio, de ser secretário estadual, ele deixou a porta aberta para vir a ser candidato a prefeito de Sorocaba.

O prefeito Crespo também dá todos os sinais (o que é diferente de afirmar, como fez Manga) de que será candidato à reeleição. Ele tem trabalhado com sua equipe nesse sentido, ou seja, de ser o candidato do grupo que está à frente da prefeitura.

Obviamente que são certas outras candidaturas. O PSDB tem como potenciais candidatos os deputados reeleitos Vitor Lippi e Maria Lúcia Amary. O PT, como historicamente vem acontecendo, também se imagina que terá candidato próprio. Raul Marcelo, seguramente, deve ser o candidato do PSOL, afinal foi ao 2º turno em 2016 em que pese haja o fato de não ter sido reeleito deputado. A vice-prefeita, Jaqueline Coutinho, diante de sua expressiva votação para deputada (em que pese não tenha vencido) também pode sonhar em ser candidata pelo PTB. A lista ainda terá nomes ligados à onda Bolsonaro e não será de se estranhar se o médico Vinícius Rodrigues, primeiro suplente do PSL a deputado federal, se arrisque. Incluo como possível, ainda, uma candidatura do PSB, partido do ex-governador Márcio França que disputou o 2º turno das eleições, com o deputado estadual Carlos Cézar ou o federal Jeferson Campos sendo os candidatos. Ainda há espaço para um novo, como é o caso do empresário Kiko Pagliato, ex-candidato a vice-prefeito na chapa de Crespo em 2004, de quem hoje está rompido. Hoje ele preside o diretório municipal do PSD.

A eleição a vereador em 2020 não será por chapa coligada, ou seja, serão eleitos os vereadores do partido. E nesse sentido, ter um candidato a prefeito pode ajudar na captação de votos para a chapa de vereadores.

Ainda merece destaque outros três pontos a serem decifrados no próximo ano: Manga se declara agora candidato a prefeito, mas por qual partido? O candidato do DEM, sua atual legenda, é Crespo. E Flávio Amary, sem partido e amigo pessoal do governador Dória, seria o candidato pelo PSDB (nesse caso haveria a concordância de Lippi e Maria Lúcia?). E Kiko Pagliato terá vez no PSD, de Kassab (aliado de primeira hora da candidatura vencedora de Dória a governador), seguindo sua linha de críticas severas e acentuadas a Crespo em seu quadro na rádio Ipanema, sendo Crespo do DEM, partido do vice-governador e aliado de Kassab e Dória?

Muita água ainda vai rolar nessa ponte, resta saber quem terá estrutura para navegar nesta turbulência sem se afogar.

Comentários

Leia também