Professora fomenta leitura em blog e canal de vídeo

A professora Carol Mariotti, da Escola Municipal Professora Inês Rodrigues Cesarotti, criou um blog e um canal de vídeos, ambos intitulados ‘Leitura Virtual’, onde elabora resenhas e comenta sobre clássicos literários, além de séries e musicais.

Sem dúvida, vejo que essa é uma das mais importantes iniciativas para tentar dar uma sacudida no baixíssimo índice de leitura do brasileiro. Ela já conseguiu mais de 20 mil seguidores em uma de suas contas nas redes sociais o que dá a esperança de que nasçam daí novos leitores de livros

Como começou

Ela começou com o projeto de maneira bem inusitada. “Aos 23 anos sofri um acidente de moto e quebrei a perna. Fiquei quase três meses afastada do trabalho. Durante o período de ociosidade, resolvi começar a escrever sobre os livros que eu lia, e assim começou o blog. O canal veio dois anos depois, quando voltei de uma bienal no Rio de Janeiro. Me bateu a vontade, gravei e postei no mesmo dia, desde então não parei mais”, disse.

Harry Potter

Carol conta que o gosto pela leitura surgiu por causa do clássico contemporâneo Harry Potter. “Quando eu fiz 19 anos, quis ler Harry Potter. Uma amiga tinha os livros e ela me emprestava a medida que ia concluindo. Na busca por outros livros como HP li de tudo um pouco. E daí em diante não parei mais”, explica.

As ferramentas online utilizadas pela professora contam com uma vasta variedade de conteúdos, mas não deixa de ter as características das preferências dela. “Meu canal e blog são muito pessoais. O conteúdo parte daquilo que eu gosto de ler. Então tem muito Harry Potter que é meu preferido, mas tem também romance, distopia, autores nacionais, projetos que faço em sala de aula, listas de indicações, Tags literárias, entre outros”, destaca.

O canal ‘Leitura Virtual’ trouxe situações peculiares que tiveram benefícios diretos em sua atuação como professora. “Ter o canal já me proporcionou experiências muito boas na escola. Eu tenho apoio de editoras, autores e outros leitores nos meus projetos da escola. No início de 2017 eu adquiri com meus recursos 35 exemplares do livro ‘O Mágico de Oz’ e ‘A Mina de ouro’. Coloquei tudo no meu carro para levar até a escola no dia seguinte, que era o primeiro dia de aula. Mas naquela noite teve uma chuva muito forte, a rua onde o meu carro estava alagou e eu perdi não só o veículo como todos os livros que estavam dentro. Mas quando eu contei a história no meu canal muitas pessoas se mobilizaram e eu recebi doações do livro ‘A Mina de Ouro’ de todos os cantos do país”, relembra a professora.

Mercado atento

“Na mesma época a editora Martin e Claret entrou em contato e me doou os 35 livros do ‘Mágico de Oz’. Naquele ano eu iniciei o projeto no 4º ano. Fizemos leitura coletiva, compartilhada, silenciosa durante o ano todo. E no final a gente encerrou com a visita de uma autora amiga minha que foi fazer uma ‘tarde de autógrafos’. Ela deu um livro dela pra cada aluno, autografou, conversou e abraçou os alunos. As crianças amaram!”, conta. “No ano seguinte eu peguei a mesma turma. E como eles já tinham lido aqueles livros, tive que procurar outros. No primeiro semestre a editora Rocco presenteou as crianças com ‘Harry Potter e a Pedra Filosofal’, com dedicatória nominal e tudo. Imagina como foi apresentar para meus alunos a história que me fez iniciar tudo isso? Fizemos varinhas na aula de artes, eles ganharam cartas de Hogwarts, escreveram textos sobre o livro”, completa.

Visita a feiras

Carol conta, também, que realiza atividade externa com as crianças para incentivar o contato com a leitura. “Em agosto de 2017 fomos até a Bienal do Livro em São Paulo, foi um passeio mágico. Aquela autora que foi no final do ano anterior na escola estava lá só pra autografar os livros para as crianças, além disso ela doou um novo exemplar dela pra gente fazer a leitura no segundo semestre. Terminamos o 5º ano lendo uma distopia fantástica”, disse.

A professora salienta sobre a evolução notória que seus estudantes tiveram por meio dessas atividades. “Nós tínhamos crianças que não conseguiam entender uma frase sequer que liam e, por fim, terminaram lendo livros de mais de 300 páginas. Alguns gostaram tanto que leram toda a saga Harry Potter durante o ano. Teve até uma mãe que veio falar que a sua filha ficava acordada escondida a noite lendo, que ela não conseguia parar. Foi simplesmente incrível”, salienta a professora. “Este ano eu voltei pro 4º ano e começamos tudo de novo, faz alguns dias que iniciamos a leitura de ‘A Mina de Ouro’ e eles estão gostando bastante”, conclui.

Ação valorizada

O secretário da Educação, André J. Gomes, que também é escritor, enaltece a ação da professora. “Profissionais como a Carol são fundamentais para a manutenção e incentivo da leitura entre as nossas crianças. O fomento desta atividade traz inúmeros benefícios aos nossos estudantes e esta ação muito importante e, sobretudo amorosa, enche de orgulho a Secretaria da Educação”, disse o secretário.

Comentários

Leia também