Promotor me diz que juiz não precisa de prova impossível para condenar e isso explica porque creio na condenação de Lula. E, ainda, com quem Lula falou em seu depoimento

MoroLula

No meu dia a dia de comentar os bastidores políticos do que acontece essencialmente em Sorocaba, região e, de maneira mais esporádica, também o que é gritante no cenário nacional, meses atrás fiz uma argumentação a respeito de uma condenação de um político e, como é previsível em assuntos como esse, houveram manifestações a favor e contra. As contrárias, no geral, são bem mais violentas. As pessoas, percebo, têm como pratica te acusarem de estar vendido, de estar recebendo algum benefício para estar falando algo como a que fala. Enfim, ossos do ofício. Procuro ser coerente com minha prática de vida pessoal e profissional. Não sou dono da verdade, admito todas as críticas, dou espaço para todos que desejam ter voz nas mídias onde atuo.

Mas neste dia (e não conto o fato e personagem porque garantia ao meu interlocutor sigilo, é a vontade dele e não minha) um promotor disse que não concordava com o meu raciocínio por que, ele me disse textualmente: “A Justiça não é alienada e não condena por formalidades. Para o juiz seguir na Lei ele não precisa de prova impossível, gostem ou não dessa prática. O dia que tiver recibo de corrupto, me mande”. E a conversa seguiu em tom pouco amistoso, onde ele também entendia que poderia haver, de minha parte, comércio da minha opinião, e me alertava: “sua opinião, mesmo que vendida, é sua opinião”. Enfim, a conversa terminou bem, ele admitiu os exageros dele, eu os meus, nos pedimos desculpas e tocamos a vida desde então com o mesmo respeito que sempre tivemos um pelo outro.

Porque Lula será condenado

Falo tudo o que falei acima, que também foi o teor da coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91.1Mhz) de hoje, para responder a pergunta que mais me fazem desde a semana: o Lula será condenado?

Com base no que me disse o promotor, como relatado acima, sem dúvida alguma Lula será condenado. O ex-presidente bateu na tecla ao longo do seu longo depoimento que não sabia de nada e que não há provas que ele seja o autor do crime. O juiz Moro, de fato, não lhe indicou materialmente nada. Mas, como diz o meu amigo promotor, a Justiça não condena por formalidades, não precisa de prova impossível, não precisa de recibo de corrupto, gostem ou não, frisou bem ele.

Portanto, qualquer resultado que não seja a condenação de Lula será uma surpresa para mim.

E quem venceu o embate, Lula ou Moro?

Sobre o depoimento, entendi que Lula usou o juiz Moro como escada para o seu propósito: falar olho no olho do seu público. Lula sabia (tanto que queria ele gravar todo o seu depoimento) que o que ele estava falando seria levado ao grande público e propagado e disse cada palavra, cada explicação didática, cada termo popular não ao juiz, mas ao seu público. Ele não queria convencer os que não gostam dele a gostar, mas queria que os que gostam mantenham-se fiéis a ele, não acreditem que possa ter cometido algum crime. E ai, passadas as primeiras 24 horas do final do seu depoimento, não tenho mais dúvida alguma de que Lula foi bem sucedido. Os que não gostam dele apregoam que Moro “venceu” e os que gostam que ele “venceu”. Ninguém que está com Lula desde o início de Mensalão e agora Lava-Jato se mexeu um milímetro para mudar de lado. E o outro lado, os contra ele? Bom, Lula ainda não começou a falar com este público (ops, eleitor).