Provedor da Santa Casa foi expulso da Maçonaria assim que as denúncias contra ele viraram inquérito, indiciamento e agora prisão

Sempre que tratei do tema Santa Casa e o acumulo de problemas envolvendo o provedor José Antônio Fasiaben me cobravam sobre não dizer que ele é da Loja Maçônica Perseverança III, a mesma que indica os homens que são membros da Fundação Ubaldino do Amaral e que administram o jornal Cruzeiro do Sul. A resposta é porque Fasiaben foi expulso da maçonaria um ano após o início dos problemas que ele enfrenta em inquéritos policiais, indiciamentos judiciais e agora a prisão preventiva.

João Jose Negrão, professor em PUC-SP, militante do PT em Sorocaba, sempre foi o mais contundente ao fazer essas cobranças. Na última delas ele me escreveu dizendo: “Quando se denuncia alguém ligado a partidos, essa filiação – corretamente – é indicada pela mídia. Por que a mesma prática não vale para as sociedades semissecretas de pretensos ‘homens bons’?”

Além disso, o que Fasiaben fez à frente da Santa Casa foi por conta própria e não por conta da loja maçônica que fazia parte.