Quando você ficar com dó, lembre-se: há “indústria da exploração”

A Guarda Civil Municipal e o setor de Fiscalização da Prefeitura de Sorocaba conseguiram flagrar e demonstrar que há uma “indústria da exploração” por trás da simples venda de pipoca nos semáforos da cidade.

Não são apenas pessoas do bem, que não conseguem emprego, e buscam alguns trocados vendendo pipoca. Há empresários da exploração.

O flagrante aconteceu no cruzamento da Av. Washington Luís com Av. Antônio Carlos Comitre no bairro Campolim. L.B.M, de 24 anos, e sua companheira P.V.S.B. de 20 anos, (a Prefeitura não divulgou os nomes, apenas as iniciais) e os dois foram acusados de usar crianças e adolescentes para comercializarem pipocas.

No interior de um estacionamento da região, os fiscais acharam o depósito onde eram armazenadas as pipocas, sendo apreendidas 1900 unidades.

Os dois foram levados à Delegacia da Polícia Federal, onde foram autuados em flagrante pela Exploração do Trabalho Infantil e encaminhados ao Sistema Prisional.

A lógica simples: se o motorista dá dinheiro ou compra balas e pipocas, as pessoas que querem esse dinheiro não sairão dos semáforos.

Comentários

Leia também