Quanto mais Crespo grita sobre a herança maldita recebida ao assumir a prefeitura, mais ele se comporta como vereador. O que é incoerente com o cargo de prefeito: alguém escolhido para resolver os problemas e não aponta-los

Crespo1

Fiquei falando sozinho, praticamente, quando falei na coluna O Deda Questão no Jornal Ipanema (FM 91,1Mhz) e escrevi aqui neste blog a postagem “Desenterrado vídeo de Crespo de quando era vereador e criticava a falta de vagas em creche e apontam: incoerente! É justamente o contrário. Ele é prefeito e não mais vereador. Assustador é quem não muda opinião estando em outra posição”.

Colegas de bancada no jornal e principalmente os ouvintes e internautas me massacraram. Muitos, inclusive, me fazendo ofensas pessoais, aventando a possibilidade de minha opinião, neste caso de apoio ao comportamento do prefeito Crespo, ter sido comprada. O que é de uma bobagem sem tamanho e diz muito mais a respeito de quem faz este tipo de acusação do que sobre mim.

Quando abordei a questão do vídeo, lembrei que todos os ouvintes e leitores que falam dessa entrevista de Crespo demonstram indignação entre o comportamento do vereador (que fazia uma cobrança) e o do prefeito (que toma uma atitude diferente daquela cobrança que fazia) diante do fato de ambos serem a mesma pessoa. As relações determinam os termos. Isso quer dizer o seguinte: uma pessoa ao embarcar num avião se torna passageira enquanto o vôo se desenvolve. Mas se essa aeronave é sequestrada em pleno vôo, sem que o passageiro faça nada, automaticamente ele vira refém e o avião prisão. Ou seja, as relações determinam os termos. Agora vejamos o que é ser Coerente. Entre as definições possíveis, ser Coerente é ser autêntico, é ser sincero nas três reações: Pensar; Sentir e Agir.

Pois bem, uso todos os mesmíssimos argumentos para dizer que Crespo é absolutamente incoerente quando reúne a imprensa e grita contra a administração anterior, do prefeito Pannunzio. Grita descasos, crimes, farras. Grita uma investigação que ele, sem modéstia alguma, classifica como similar a da Lava-Jato, a maior operação de combate à corrupção que já se viu na América Latina.

O cidadão espera que o vereador grite e aponte o dedo onde nem todos têm a coragem de fazê-lo. Mas o cidadão, igualmente, espera que um prefeito faça. O grito é para o legislador. O fazer para o executivo. Essa incoerência de comportamento de Crespo gera distorções na sociedade para compreender o novo governo e gera, igualmente, distorções dentro do próprio secretariado. O perfil de grande parte dos secretários é o de fazer, em silêncio, o que precisa ser feito. São pessoas que se constrangem quando há muito agito, polêmica, embate.

Crespo precisa esquecer de vez a roupa de vereador e não tirar mais a de prefeito até a próxima eleição.