Repercussão mixa facilita a votação

Por 14 votos a 6, a Câmara aprovou a reorganização da estrutura administrativa do Poder  Legislativo instituindo a Secretaria de Gestão Administrativa e a Divisão de Finanças que passa a ser denominada Assessoria de Finanças. Com essa decisão foi criado o cargo de Secretário de Gestão Administrativa, que terá salário de R$ 19 mil por mês, e ficará subordinada a Assessoria de Finanças. Esse cargo será preenchido por funcionário comissionado, ou seja, por indicação do presidente. Ainda foi garantida a gratificação de 30% para diretor geral para realização dos trabalhos da chamada Escola do Legislativo, além de 20% de gratificação sobre os vencimentos de diretor executivo e diretor acadêmico.

O presidente da Câmara, vereador Fernando Dini, defendeu a proposta, formulada pela Mesa, lembrando que “a Secretaria Geral da Casa foi criada nos anos de 1970 e que desde então o Legislativo aumentou exponencialmente o número de funcionários e o volume de trabalho. No nosso entendimento é necessário que haja uma divisão entre setor operacional e administrativo pois trará mais agilidade ao trabalho do Poder Legislativo”.

Como foram os votos

Pela aprovação da a reorganização da estrutura administrativa do Poder  Legislativo instituindo a Secretaria de Gestão Administrativa e a Divisão de Finanças, votaram SIM: Anselmo Neto, Hélio Brasileiro, Eng. Martinez, França, Fausto Peres, Fernando Dini, Hudson Pessini, Iara Bernardi, João Donizeti, Rafael Militão, Renan Santos, Vitão do Cachorrrão e Wanderley Diogo. Votaram NÃO: Fernanda Garcia, Péricles Régis, Irineu Toledo, Luís Santos, Rodrigo Manga e Silvano Júnior.

Repercussão mixou

A repercussão do projeto, que até a véspera da votação era intensa nas redes sociais, praticamente morreu. E isso facilitou a decisão da maioria dos vereadores em criar a nova estrutura com os referidos gastos, cujo uma avaliação prevê que cheguem a meio milhão por ano entre salários, gratificações e encargos.

Comentários

Leia também