Reproduzo aqui, por ter sido pública, a lamentável acusação do vereador Crespo de que professor João Negrão defende governo Dilma por ser pago para isso. A lei pode garantir imunidade ao parlamentar das penas previstas no Código Civil, mas moral e eticamente não. Sua perda é grande caso não prove ou se retrate de sua acusação

O vereador Crespo usou seu blog para convidar seus leitores a assistirem o programa de humor americano que fez ‘panelaço’ internacional e piada com Dilma. E assim se pronunciou José Crespo: Dilma está esfregando a cara do país na lama (ou merda)…
João Jose Negrão, que por uma década foi professor de Jornalismo na Uniso, é professor do Ceunsp e foi assessor parlamentar de Hamilton Pereira, que desde que veio a Sorocaba quase vinte anos atrás sempre militou pelo PT e defendeu os ideais do seu partido, resolveu chamar o vereador para um debate e assim se expressou: Olha o decoro, caro parlamentar. Bom mesmo devia ser o tempo em que o Brasil era permanentemente acusado de violações dos direitos humanos, dos direitos civis, dos direitos trabalhistas etc, etc em todos os foros internacionais. Época da ditadura, apoiada generosamente pela sua Arena…
José Crespo, rebateu: A palavra “merda” de fato é tosca, rústica, amigo João Negrão, mas para conotar o que Dilma está fazendo com o Brasil, não existe outra palavra mais exata do que essa. O desrespeito, nesse caso, é de Dilma contra o povo brasileiro.
Antes de João Negrão voltasse a se pronunciar, José Crespo novamente se dirigiu ao seu interlocutor: Prezado João Negrão, acaba de chegar o “elo perdido” que explica como é possível que uma pessoa qualificada como você, assuma atitudes de vanguarda ideológica tão incoerentes e até irracionais (defesa do indefensável: Dilma e Lula). Você faz parte do “batalhão” de internautas regiamente contratados por Lula para isso. Agora, está explicado: é “tudo por dinheiro” mesmo. Você perde completamente a credibilidade e o respeito social na base, mas pelo menos engorda sua conta bancária.
João Jose Negrão reagiu: Crespo, mais uma bravata que você certamente não prova. Não, meu caro, não recebo nada para expor e debater ideias. Mas entendo: como o hábito faz o monge, supor que pessoas possam fazer e debater política a partir de princípios deve ser mesmo muito dificil e quase incompreensível para alguns.
José Crespo rebate: Prezado João Negrão: minha fonte é de dentro do (seu) círculo. Mas você sobreviverá (menos respeitado, porém mais rico).
João Jose Negrão esquenta: Você mente, Crespo. Desafio você a provar que tenho qualquer vínculo monetário ou emepregatício, desde 2012 – quando, depois de 4 anos, me afastei da assessoria do deputado estadual Hamilton Pereira – com qualquer parlamentar ou estrutura formal ou informal do Partido dos Trabalhadores.
José Crespo, com toma de sarcasmo: Querido amigo João Negrão, não se estresse: eu sei que certas verdades incomodam e até “dóem”. Eu gosto da sua pessoa, mas não posso aceitar que você tente, insistentemente, menosprezar a minha inteligência (e a inteligência de todos os demais internautas) defendendo a CORRUPTA presidente Dilma, neste espaço. Quem fala o que quer, ouve o que não quer.
João Jose Negrão: Não estou estressado. Mas afirmar que recebo dinheiro para expor o que penso é indigno. Nunca fiz qualquer acusação pessoal a você, pois não tenho elementos para tal. Faço críticas políticas historicamente comprovadas, como sua ligação com a Arena – onde vc iniciou sua vida política – e que era o partido de sustentação da ditadura militar. Acusações contra Dilma, movidas por instâncias do Judiciário, não existem. Já não é este o caso do presidente do seu partido, o quase nanico DEM – e coordenador da campanha Aécio – José Agripino, contra quem o Procurador Geral, Rodrigo Janot, pediu abertura de inquérito no STF para investigar propina de R$ 1 milhão.
José Crespo segue no debate: Uma coisa é forçoso reconhecer, João Negrão: você é insistente, nunca “vira o disco” (será parte da sua estratégia: tentar ganhar o debate “no cansaço”, quando os argumentos se esgotaram?). Arena, “ditadura”, Agripino, etc. Você realmente acredita que os irmãos internautas entram nessa ladainha? Em caso afirmativo, você merece o “troféu Goebbels” de marketing político!
João Jose Negrão também não dá trégua: Troféu Goebbels merece mesmo quem acha que acusar sem provas – como você fez comigo há pouco -, e repetir insistentemente a mentira, tem o dom de transformá-la em verdade. E a história, por mais que alguns tentem, não se apaga. Ladainha ou não, ela está registrada.
Outras pessoas se manifestaram neste debate, mas o foco foi mesmo os dois. Lamentável a acusação do vereador. A lei pode garantir imunidade ao parlamentar das penas previstas no Código Civil, mas moral e eticamente não. Sua perda será grande caso não prove ou se retrate de sua acusação. Acusações levianas não podem ficar impunes.

Comentários

Leia também