São Paulo vai bancar tratamento de ex-jogador do São Bento

O São Paulo anunciou no começo da semana a suspensão do contrato de Régis, lateral-direito que se transferiu para o clube logo após o Campeonato Paulista deste ano depois de uma ótima temporada no time do São Bento.

Hoje, 13 de junho, o clube paulistano anunciou que decidiu bancar o tratamento pelo qual o jogador passará nos próximos dias, porém nem o Tricolor, tampouco pessoas próximas a Régis falam abertamente sobre o assunto, mas o problema vem sendo tratado pelas partes como uma doença.

Em Sorocaba, pessoas que moraram no mesmo prédio em que Régis residia, no Jardim Simus, presenciaram crises pelo qual o jogador passou. Ele seria dependente químico (o modo como o São Paulo trata o caso dá a entender que seja isso) e seu comportamento fica alterado em alguns momentos deixando-o violento.

Quem enfrentou o problema de frente é o ex-jogador do Corinthians e seleção brasileira, hoje comentarista da Rede Globo, Casagrande. Inclusivee, no seu embarque à Rússia, dias atrás, ele postou que essa será sua primeira Copa do Mundo onde está limpo, sem cocaína. Além disso, quando quase morreu, usou dessa sua doença para promover o tema com a seriedade que ele merece.

Se o São Paulo não tivesse acolhido Régis nesse momento, já havia a decisão da atual diretoria do São Bento, numa iniciativa do diretor de futebol José Humberto Urban, que é delegado de polícia, de acolher o jogador e dar o respaldo que ele merece para se recuperar.

Em 2017, quando vinha de uma sequência ótima de jogos, Régis também ficou afastado do time e se recuperou a ponto de ficar por mais de um ano em sua atividade profissional sem enfrentar problemas. A suspensão do seu contrato, agora, assustou.

Eu que acompanho o São Bento desde muito criança, nos anos 70, não me lembro de ter visto um lateral direito tão completo como Régis em que pese tenha passado por essa posição no time nomes de destaque como Nelsinho (esse que é técnico de futebol), Chiru, Odair Patriarca e certamente outros que me escapam na memória agora.

Comentários

Leia também