Secretaria de Cultura fazia parte do acordo do partido Podemos com a prefeita para apoiar o seu governo e vereador daria as coordenadas da pasta

FaustoWerinton Kermes, ex-secretário da Cultura do prefeito cassado, José Crespo, está inconformado por ter ficado fora da pasta mesmo depois de ter sido convidado pela prefeita Jaqueline Coutinho para seguir no cargo. E ele confidenciou a mim essa insatisfação, onde afirma que “a prefeita foi deselegante” com ele e “não teve respeito para comigo”.

Mas é um trecho isolado do seu relato, onde ele afirma que na segunda-feira passada (28 de agosto) o vereador Fausto Peres, do Podemos, telefonou a ele dizendo que “a Secretaria de Cultura era um acerto (dele com a prefeita) e fazia parte do acordo (para o Podemos apoiar o governo de Jaqueline) e portanto eu (Werniton Kermes) continuaria como secretário, mas com ele dando as coordenadas da pasta”. Surpreso, Werinton Kermes ligou ao vereador Hudson Pessini para saber se o que Fausto estava dizendo era aquilo mesmo que confirmou que era isso mesmo, a Secretaria da Cultura “pertence” ao vereador Fausto Peres.

O fato é que Werinton Kermes soube por mim, durante a coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) de quarta-feira, que não seria o secretário e, mais, nem Fausto Peres e Hudson Pessini sabiam que Werinton não seria mais secretário até aquele momento da manhã de quarta-feira. Werinton disse que soube, de fato, que não seria mais o secretário da Cultura ao ouvir, às 11h30, pela rádio Ipanema o anúncio de Glauber Piva do PT como o secretário feito pelo repórter Rubens Maximiano.

“Pelo visto Fausto Peres foi enganado e Hudson Pessini foi usado pela prefeita Jaqueline”, conclui Werinton Kermes.

Leia a íntegra do depoimento do ex-secretário:

31/08/17, 00h24 – WK: Vou te contar um pouco do ocorrido: Fui eu quem ouvi a discussão que deu origem a crise (entre o entõa prefeito Crespo e a vice Jaqueline).

  1. Por isto passei (eu e o secretário Pupin) a defende-la e até tentando que o prefeito se desculpasse com ela.
  2. Quando ela vai à Câmara acompanhar o depoimento da Tati (assessora acusada de não ter diploma do ensino fundamental) e passa a ser defendida pelo advogado, me afastei da situação, pois percebi que havia ali uma Jaqueline com a vocação de delegada e com um jeito Crespo de ser .
  3. Domingo último (27 de agosto), a jornalista Bia Negrão me liga às 14h dizendo que a prefeita Jaqueline queria falar comigo na casa dela, no Ibiti.
  4. Vou até a casa de Jaqueline e lá está o vereador Hudson Pessini. Na conversa ela.me pede para continuar como secretário da Cultura.
  5. Eu digo que aceito, mas antes eu precisaria agradecer o Renato Amary (que foi quem convidou ele a fazer parte da campanha e depois do governo Crespo).
  6. Ela concorda e me dá uma semana (para fazer este acerto com o Renato). Mas na segunda-feira (dia seguinte, 28 de agosto) o vereador Fausto Peres me liga dizendo que a Secretaria de Cultura era um acerto e fazia parte do acordo e portanto eu continuaria como secretário, mas com ele dando as coordenadas.
  7. Eu comento com o vereador Hudsom Pessini (o telefonema do Fausto) que confirma.
  8. Na terça-feira de manhã (29 de agosto, véspera do anúncio do secretariado) o advogado Ricardo (ex-assessor de Hudson e chefe de gabinete da prefeita) me liga perguntando se eu já tinha falado com o Renato.
  9. Eu digo: vou falar à noite. E (na noite de terça-feira) falo, agradeço o Renato e ele me deixa à vontade para continuar com o projeto (na Secretaria da Cultura).
  10. Às 20h da terça-feira o Hudson me liga desesperado querendo a resposta. Eu digo que sim (aceito seguir como secretário).
  11. Hudson passa (na mesma hora) o telefone para a prefeita que fica feliz e comenta (minha decisão) com Fausto Peres que parece estar a seu lado .
  12. Digo que na quarta-feira estarei me apresentando e ela agradece mais uma vez.
  13. Na sequência o vereador Fausto me liga e fala de que ele iria precisar na Cultura para pôr um correligionário e eu concordo. Na sequencia diz de se filiar no Podemos (partido do Fausto Peres).
  14. Quarta-feira (dia do anúncio do secretariado) às 7h30 fico sabendo pelo Deda que o que tinha sido acordado 12 horas antes poderia não acontecer.

16- Ligo para Hudson que passa para seu assessor Fernando que garante que está tudo certo (de Werinton seguir como secretário).

  1. Ligo para Fausto Peres que está na antesala da prefeita e diz estar estranhando a quantidade de petistas na sala.
  2. Às 11h30 ouço o Rubinho (repórter da Ipanema FM) anunciando o Glauber Piva (como o novo secretário).

Resumo: A prefeita foi deselegante e não teve respeito para comigo. Quando o Crespo a desrespeitou ela fez o que fez. Pelo visto, o Fausto Peres foi enganado e o Hudson Pessini foi usado. Mandei mensagem desejando sucesso ao novo secretario Glauber. E até agora (início da madrugada desta quinta-feira) a prefeita não me ligou para ao menos se desculpar.

O Deda Questão

Na coluna de hoje no Jornal Ipanema tratei desse tema e até agora à tarde o ex-secretário não havia recebido ligação da prefeita ou dos vereadores Fausto ou Hudson.

Porém, ouço outra posição de pessoas ligadas a todos este processo: a prefeita não deixou Werinton Kermes na mão. Nem o vereador Fausto Peres fez isso uma vez que foi oferecido para ele ser o secretário da Igualdade e Assistência Social e ele declinou, uma vez que era seu desejo seguir na Cultura. Mas diante da composição da base de apoio na Câmara, onde a Cultura era uma exigência do PT para fazer parte do governo, a troca de secretários e pasta é da regra do jogo. A prefeita lamentou que Werinton não quisesse fazer parte do governo.