Secretário Eloy está com a faca e o queijo nas mãos

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) na Câmara de Vereadores que investiga os voluntários que atuam na Prefeitura de Sorocaba – que nasceu a partir de denúncias de assédios morais, intimidações, tráfico de influência e prejuízos ao erário público contra Tatiane Polis – está no encalço de provar uma disputa de poder entre Tatiane e o secretário de Comunicação, Eloy de Oliveira, pela administração desse contrato de R$ 20 milhões entre a prefeitura e a agência de publicidade.

A decisão do prefeito Crespo de tirar o comando da agência da Secretaria de Comunicação e Eventos e passar a Carlos Mendonça, chefe do seu gabinete, pessoa de sua extrema confiança, gerou um olhar de desconfiança sobre Eloy. Senão é isso, qual seria o motivo do prefeito ter feito essa mudança do gerenciamento financeiro desse contrato?

Eloy está magoado com essa situação. E Eloy será o primeiro a ser ouvido na CPI, ou seja, ele vai dar o tom do que poderá vir a ser e onde poderá chegar essa CPI. Como se diz, ele está com a faca e o queijo nas mãos.

O prefeito tem apenas uma preocupação com as pessoas escolhidas pela CPI para prestar depoimento: Eloy de Oliveira. Eles acham que ele pode detonar a Tatiane Polis por ela ter prejudicado ele na disputa pelo poder do contrato com a agência de publicidade.

Eloy, porém, está longe de ser burro. Ele sabe que não é possível ferrar uma pessoa só nessa disputa, ou seja, prejudicar Tatiane e ao mesmo tempo preservar o prefeito, até porque Tatiane trabalhou como voluntária a pedido do prefeito. Se falar algo para comprometer Tatiane, Eloy estará falando para comprometer o governo.

O que vai fazer, então, o Eloy?

Minha intuição é de que ele vai deixar claro que sente ter motivos de sobra para ferrar a Tatiane Polis (e por extensão o governo), mas vai se comportar como sendo de confiança e fiel a Crespo. Com isso, primeiramente, vai preservar seu cargo (ficando à parte, como está até agora, dos problemas dos dias de hoje onde o jornalismo vive a pior crise da sua história, com postos de trabalho apenas sendo fechados e salários achatados), além de preservar seu emprego e sua renda. Se possível, Eloy terá de volta o controle total sobre o contrato da agência de publicidade (não apenas o conteúdo das campanhas, mas o gerenciamento financeiro dela).

Mas Eloy precisará ser hábil, pois se deixar transparecer que está jogando com essa situação, minha intuição diz que o prefeito Crespo, antes que chegue o dia dele depor à CPI, vira a mesa onde estão a faca e o queijo espatifando tudo no chão, ou seja, deixando Eloy sem seu trunfo. Lembrem-se que ele já agiu assim quando estava no auge o seu embate com a vice-prefeita Jaqueline Coutinho, ou seja, ele acusou Jaqueline e, meses depois, essa acusação rendeu processos nas esferas Civil e Criminal do Ministério Público contra a sua vice. Se sentir-se pressionado, pela lógica, o prefeito fará o mesmo com o seu secretário. Por isso, insisto em minha intuição, Eloy precisará ser hábil. E Eloy sabe disso, afinal ele estava ao lado do prefeito quando ele se decidiu por partir ao ataque contra a sua vice. Eloy sabe como o prefeito pensa e, só essa, é a sua vantagem.

O prefeito pediu que Eloy se reunisse com o advogado Márcio Leme – que além de presidente da OAB- Sorocaba tem como clientes Tatiane Polis e o prefeito Crespo – o que aconteceu ontem, quinta-feira. O objetivo foi dar a Eloy a chance de mostrar ao advogado quais são as suas intenções.

Não faço a menor idéia da avaliação de Eloy ou Leme sobre a reunião. E nem sei se Leme já se reuniu com o prefeito para passar sua avaliação.

Comentários

Leia também