Selo Social se consolida e já reúne 134 empresas, além do setor público

O Instituto Selo Social – que planifica estratégia de mobilização e integração de órgãos públicos, empresas e entidades sociais para fomentar e potencializar o desenvolvimento social de alguma localidade – já reuniu 134 entidades em Sorocaba, entre empresas, associações e sindicatos (alguns exemplos são a Associação Comercial de Sorocaba; empresas Johnsons, Kanjico, Júlio&Júlio, Unimed, Caixa, Iguatemi Business; além de entidades do terceiro setor como Senac, Senai, Sesi; Sindicato da Construção Civil) que buscam, agora, a união dos setores para a construção de projetos para a cidade.

Em um encontro, na última quinta-feira em Sorocaba, a organização Selo Social reuniu participantes dos 3 setores de 88 organizações participantes que cadastraram seus projetos sociais para o reconhecimento e a certificação do Selo Social – ciclo 2018. Em Sorocaba, o projeto atua pelo 5° ano em parceria com o Poder Público, por meio da Secretaria de Cidadania e Participação Popular.

A grande novidade deste ano foi anunciada pelo orientador e Presidente do Instituo Abaçaí Brasil, Áureo Giunco Júnior, na reunião realizada no Sorocaba Park Hotel. A partir de agora, os encontros terão mais um desafio: juntos, as organizações, que até então trabalharam com olhar interno para a sua causa, irão pensar juntos em um projeto que possa melhorar a cidade de Sorocaba. “Vamos juntos pensar em algo que venha a impactar positivamente a vida das pessoas de Sorocaba, é o pensar macro. Neste primeiro momento vamos elaborar a área de atuação deste projeto e posteriormente, criar estratégias de como viabilizá-lo”, conta ele.

Este foi o terceiro encontro do grupo que já cadastrou os projetos de sua organização por meio de uma plataforma digital, que concentra informações desde o estudo de realidade, objetivo da ação até os impactos causados na localidade. Com a novidade de deste encontro, o grupo já começou a imaginar projetos conjuntos, entre eles com relação a Educação e Segurança da cidade.

O Selo Social é uma oportunidade para que os três setores – público (1°), privado(2°) e social (3°), pensem juntos e busquem a formalização de parcerias, no sentido de trabalhar elementos ou programas sociais como ações prioritárias, que demostrem o seu compromisso e sua atuação enquanto Organização, visando melhorar a qualidade de vida na nossa cidade.

Exemplo concreto

Um exemplo do que o Selo Social pode provocar é o projeto “Vidas em Movimento” executado em 2017 nas dependências do Lar São Vicente de Paulo em Sorocaba. Nele, uma professora voluntária, atuando uma vez por semana, deu aulas de dança aos idosos, com músicas que resgatam vivências da juventude, integração, resgate da auto-estima e a promoção da convivência comunitária.

Observa-se que muitos idosos nos dias atuais são institucionalizados e alguns totalmente abandonados, onde esse abandono contribui para somatização e trazer mais problemas a saúde do idoso, trazendo depressão e outras complicações, visto a necessidade de atividades física, surgiu o Projeto ” Vidas em Movimento” com o objetivo de desenvolver aulas de danças para nossos acolhidos, envolvendo dança e idosos onde comprovam as contribuições para a saúde física e mental dos acolhidos, principalmente no que se refere aos ganhos ligados à força, ritmo, agilidade, equilíbrio, flexibilidade.

Com o projeto, 92 idosos do Lar são Vicente de Paulo, tiveram a oportunidade de interagir entre si, participando de uma atividade que associa saúde física e mental por meio da dança. Essa atividade pode resgatar no idoso a melhora da auto-estima, despertando a alegria de conviver com novas amizades nas quais celebram a vida esquecendo por um momento das doenças e tristezas adquiridas pela idade ao serem tomados pela dança e música, as quais os envolve e contagia. Surgiu o Projeto ” Vidas em Movimento” com o objetivo de desenvolver aulas de danças para nossos acolhidos, envolvendo dança e idosos onde comprovam as contribuições para a saúde física e mental dos acolhidos, principalmente no que se refere aos ganhos ligados à força, ritmo, agilidade, equilíbrio, flexibilidade onde tem trazido melhora na qualidade de vida e principalmente motivação e valorização aos idosos.

O resultado dessa ação, foi o de proporcionar mais saúde física e mental, aumentando a convivência social dos idosos de modo a: Resgatar a auto-estima, despertar a alegria de conviver; Estimular o condicionamento fisico e mental do idoso; Levar a eles melhor qualidade de vida.

Na prática, as aulas de dança acontecem uma vez por semana por 40 minutos, através de músicas que resgatam vivencias da juventude deles e com isso se interagem uns com os outros, despertando novas amizades e alegria de viver. Isso leva a dois tipos de impactos sociais: um interno e outro externo.

No Impacto Externo, através de relatos, lista de presença e roda de conversa. 17 idosos por meio da dança se sentiram motivados alcançando, melhor qualidade de vida, socialização, autoestima elevada e fortalecimento de vínculo entre os mesmos.

No Impacto Interno, por meio de depoimentos recolhidos com os colaboradores e professora, percebeu-se que a equipe também foi beneficiada com mais saúde e qualidade de vida ao participar das atividades de dança do projeto, uma vez que a atividade física e lúdica proporcionou esse resultado, agregado a autovalorização do trabalho ao perceber os resultados para os idosos que puderam proporcionar.

Comentários

Leia também