Sem apoio, Parada Gay de Sorocaba 2017 faz vaquinha

ParadaGay

Foto da Parada LGBT de 2016, evento que acontece em Sorocaba desde 2005

A organização da Parada Gay 2017 de Sorocaba lançou uma “vaquinha virtual” para arrecadar R$ 5,5 mil para custear a realização do evento agendado para 20 de agosto na praça Frei Baraúna, a partir das 13h. Às 15h, os participantes seguem pelas ruas Barão de Tatuí e Antônio Carlos Comitrê com destino a Praça do Campolim. A prefeitura sempre ajudou, inclusive com recursos financeiros a partir de 2008. Quem tiver interesse em contribuir deve acessar o site www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-a-parada-lgbt-de-sorocaba-2017.

Histórico de Sorocaba

A Parada Gay de Sorocaba chega a sua 12ª edição e traz este ano o tema “Jovens LGBT Resistem!”. O movimento local nasceu de uma carreata feita no ano de 2004/2005, liderado pelas Travestis que em busca de mais dignidade e respeito, se uniram a então deputada federal Iara Bernardi. O movimento era apenas carreata pois apenas se tinha um carro de som puxando cerca de mais 4 ou 5 carros de passeio pelo centro de Sorocaba, e nenhum peso até então seja político, ou social, afinal de contas não se havia visibilidade.

No ano de 2006 se foi então criada oficialmente a Parada Gay de Sorocaba, liderado até então pelo militante Paulo Lamarca, que mudou todo o contexto do movimento, assim então mudando o trajeto, passando ter uma visibilidade maior, a Parada invadia o Parque do Campolim, saindo ali do antigo Bier e terminando em frente à casa noturna Blanko, e nisso já se tinha mais que apenas um carro de som, e sim 2 trios elétricos, e uma participação mais efetiva do público e de pessoas colaborando.

No ano de 2007 a Parada até então havia sido assumida pelo presidente do grupo Girassol, uma ONG onde quem presidia era o Sr. Paulo Sérgio Monteiro (Paullete Well’s).

No ano de 2008, assumi a organização do evento /movimento lgbt, eu Dj Dennys Sbizera, militante da causa, e que havia participado de todas as edições, de a sua criação.

Sua primeira mudança significativa foi o apoio que ele foi buscar junto à secretaria de Cultura Municipal de Sorocaba, de Saúde, e também a reformulação do trajeto, tirando a concentração do eixo do bairro Campolim, e assim aumentando o trajeto. A concentração passou a ser na Praça do Fórum Velho de Sorocaba (Praça Frei Baraúna), e se dispersando na Praça de Caminhada do Campolim. No ano de 2008 conseguimos reunir cerca de 5 mil pessoas, cujo número já era muito significativo após vários problemas em anos anteriores, onde se atingia no máximo 2 mil.

Ao longo de 7 anos de organização do Dj Dennys Sbizera, o público vêm aumentando, e hoje o movimento/evento reúne desde a concentração até sua dispersão cerca de 50 mil pessoas.

O evento conta com trios elétricos, WC químico, estrutura operacional, segurança, ambulância, profissionais, que doam seu tempo e trabalho para realizar um evento desse porte, DJs, drag queens, apresentadores, cantores, entre outras atrações.

A mídia hoje enxerga a Parada Gay como um evento que pertence ao calendário oficial da cidade Sorocaba, por sua organização, os índices de ocorrência policiais no evento é dado como zero, em relação a outros eventos que o município tem registrado, dados fornecidos pela PM e pela Secretaria de Cultura de Sorocaba.

Sorocaba hoje possui uma comissão liderada pelo organizador, Dj Dennys Sbizera que é a APOGLBT-SOR (Associação da Parada do Orgulho Gay, Lésbica, Bissexuais e Transgêneros de Sorocaba).