“Sem” secretária da saúde há 40 dias, prefeita usa velha receita para acalmar os ânimos no setor

A prefeita Jaqueline Coutinho, que estava, na prática, sem secretária da Saúde desde que assumiu o cargo no dia 2 de agosto com a cassação do prefeito Crespo, encontrou numa velha receita caseira o modo para resolver, interinamente, pelo menos, o problema da pasta. Nomeou o médico de carreira, Ademir Watanabe, para exercer a função.

Ele já foi secretário de fato, de nome e como mentor nas gestões de Renato Amary, Vitor Lippi, Pannunzio e do próprio Crespo. Ele é respeitado por todo o corpo de funcionários e também pelos médicos da rede; ele entende a linguagem dos vereadores e sabe como dialogar com o secretário que cuida das finanças e dos contratos da prefeitura. Além, obviamente, de se entender politicamente com o prefeito. Portanto, é a pessoa no lugar certo, na hora certa e no momento certo.

Mas, repito, é interinamente.

A pedido da prefeita Jaqueline Coutinho, a saída da psicóloga Kely Cristiane Schettini foi tratada com elegância.

A secretaria de Comunicação comunicou que ela apresentou na manhã desta quarta-feira (11) seu pedido de exoneração do cargo de secretária de Saúde da Prefeitura de Sorocaba. E que esse pedido foi protocolado no gabinete da prefeita Jaqueline Coutinho, que deve anunciar ainda hoje o nome do substituto.

Em seu pedido de exoneração a agora ex-secretária agradece que a oportunidade lhe foi oferecida e ressalta todas as conquistas de melhorias implantadas, “junto com os valorosos funcionários da Secretaria.” Ela se despede desejando a Sorocaba um grande futuro. Kely Schetini assumiu a Secretaria de Saúde no dia 2 de maio de 2019 em substituição a Marina Elaine Pereira.

Kely e Marina Elaine, pelo que foi apresentado na Câmara de Vereadores na terça-feira, serão alvo da CPI da Saúde apresentada pelo vereador Hudson Pessini, namorado da prefeita Jaqueline.

Comentários

Leia também